Ataque não funciona e time justifica que ''só faltou o gol''

Corintianos deixam o campo elogiando a atuação do goleiro Neneca, do Santo André

Fábio Hecico, O Estadao de S.Paulo

16 de março de 2009 | 00h00

Jorge Henrique, Dentinho, Otacílio Neto, Souza, todos atacantes. Douglas, Boquita, Lulinha, meias ofensivos. Todos jogaram ontem à tarde, em momentos distintos, diante do Santo André. Um poder ofensivo grande do Corinthians que decepcionou a torcida, no 0 a 0, no ABC. Nenhum deles teve a capacidade de furar a defesa adversária. No fim, ainda saíram de campo recitando discurso que parecia previamente ensaiado, na base do "só faltou marcar o gol". Um detalhe.Faltou o gol, claro, como faltaram finalizações mais precisas, mais capricho, com chutes tirando do goleiro. Ao corintiano fanático, a ausência de Ronaldo justifica o placar em branco.Ontem, Dentinho, o substituto do Fenômeno, até se movimentou bem, correu, deu alguns dribles. Na hora decisiva contudo... Acertou um chute em Cesinha, outro em Elvis. Quando a bola foi no alvo correto, parou nas mãos de Neneca, que pouco trabalho teve para segurá-la. O jovem corintiano trocou a camisa com o goleiro do Santo André, depois de fingir socá-lo pela tarde firme.No fim, Dentinho quase admitiu que Ronaldo fez falta. "Sabemos que o Ronaldo é ótimo e...", começou. Pensou melhor e preferiu mudar o tom da conversa. "Como o Souza também é excelente. Uma hora a bola dele vai entrar. O importante é ainda estarmos em segundo. Agora temos uma semana cheia para a preparação do clássico de domingo (com o Santos)."Boquita pegou a deixa. "A bola passou muito pela área, faltou caprichar mais na hora de marcar o gol", disse. "Buscamos o gol a todo custo, infelizmente não saiu", endossou Fabinho. "Tínhamos de chutar mais", arrematou. Não convenceram.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.