Ataque obriga treinador a promover novas mudanças

A pública insatisfação de Luiz Felipe Scolari com o ataque do Palmeiras é amparada pelos números. Kleber, o "homem-gol" do time, não balança as redes desde 19 de junho - marcou duas vezes na goleada sobre o Avaí, por 5 a 0. E o time está há três partidas sem fazer um gol. Nos últimos dez jogos, o time marcou apenas nove gols - e apenas dois deles foram anotados pelos homens da frente: Maikon Leite e Luan.

, O Estado de S.Paulo

16 de agosto de 2011 | 00h00

O artilheiro do time nessas dez partidas é um zagueiro: Maurício Ramos, com três gols. E Marcos Assunção e Patrik, com dois cada, fecham a lista.

Segundo Kleber, a culpa pela ineficiência do ataque não é apenas dele. "Se a bola não chega com qualidade, não adianta", afirmou. "Temos de manter a calma para sair desta fase ruim."

Felipão promete mudanças para o confronto contra o Bahia, quinta-feira, no Canindé. Mais uma vez ele reclamou das diversas chances desperdiçadas no domingo, na derrota por 1 a 0 para o Vasco. Mas a verdade é que o treinador não tem muitas opções.

Na última rodada, Maikon Leite saiu para a entrada de Dinei, que deve permanecer na equipe. Se quiser, Felipão pode tirar Luan, que não tem tido bom rendimento desde que renovou o contrato, colocando Patrik ou Vinicius, por exemplo. E Chico, elogiado pelo técnico, pode continuar no time. Resta saber em que lugar, porque Marcos Assunção retorna de suspensão.

Pierre. Sem espaço com Felipão, o volante Pierre deve acertar hoje sua transferência para o Atlético-MG. As diretorias negociam um empréstimo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.