Atenas faz novos exercícios de segurança

Começam nesta quinta-feira, em Atenas, quatro dias de exercícios simulados para testar o sistema de segurança dos Jogos Olímpicos. O ministro da Ordem Pública, Giorgios Voulgarakis, e o chefe de polícia Fotis Nassiakos são os responsáveis pelo planejamento das manobras da Operação Guardião Olímpico 2, que contará com especialistas norte-americanos e conselheiros da Austrália, Grã-Bretanha, França, Alemanha, Israel e Espanha.As autoridades não divulgaram detalhes das manobras, que visam a analisar a capacidade de reação a atos terroristas, em cenários que incluem seqüestros de aviões, resgate de reféns e ataques com armas químicas, bem como a administração das conseqüências. A realização dos exercícios já estava prevista e não tem ligação com as três bombas que explodiram no dia 5 em um subúrbio de Atenas.Embora o governo negue a existência de uma ligação entre as explosões e a Olimpíada, o atentado fez crescer a preocupação mundial em relação à segurança em Atenas. Este mês, a Grécia aumentou para US$ 1,2 bilhão o orçamento para a proteção dos Jogos e, na terça-feira, Voulgarakis anunciou o acréscimo de 20 mil homens ao efetivo que patrulhará a capital e os locais de disputa - eram 50 mil.Apesar de o presidente do COI, Jacques Rogge, tentar também acalmar os ânimos, dizendo que todo o possível está sendo feito para garantir a segurança, o governo australiano, por exemplo, está alertando seus cidadãos para a possibilidade de novos ataques. Na semana que vem, o primeiro-ministro Costas Karamanlis irá a Washington para discutir a segurança dos Jogos e vai se encontrar com o presidente George W. Bush no dia 20.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.