Atenção inglesa agora está em Wimbledon

Mal na Copa do Mundo, seleção do país divide espaço com Federer e Nadal na sagrada grama do Grand Slam londrino

Giuliander Carpes, O Estado de S.Paulo

21 de junho de 2010 | 00h00

Os campos sul-africanos são o palco da Copa mais cobiçada do futebol mundial. Mas a grama londrina também guarda uma disputa sagrada, que não mudará de data nem com a competição mais apaixonante do mundo. Vuvuzelas estão proibidas. Falar da seleção inglesa que enfileira um vexame atrás do outro, também. A taça que vale muito ? R$ 2,63 milhões, além do prestígio ? para os tenistas e grande parte dos britânicos a partir de hoje é a de Wimbledon. Principalmente para Roger Federer, que pode igualar o recorde de 7 títulos de Pete Sampras no All England Club e estreia hoje, às 9 horas contra Alejandro Falla.

Mas neste ano não será tão "fácil" para o suíço quanto em 2009, quando bateu o recorde de 14 conquistas de Grand Slam de Sampras exatamente no torneio inglês ? vitória sobre Andy Roddick na decisão. Agora o "touro" Rafael Nadal está de volta depois de abdicar de disputar Wimbledon na temporada anterior por causa de uma tendinite nos joelhos. Não é coincidência que o espanhol tenha sido o último a bater Federer na grama do All England Club, na memorável final de 2008.

O espanhol reconquistou o título de Roland Garros duas semanas atrás. Motivação não falta. "Estou feliz por Nadal ter voltado. Quero que ele jogue todos os torneios", declarou o gentil suíço. "Senti como se tivesse visto o velho e clássico Rafa no saibro, dificilmente perdendo sets e jogos. É por isso que vai ser incrivelmente difícil vencê-lo aqui em Wimbledon."

Os dois não levaram títulos nos torneios preparatórios para Wimbledon. Nadal caiu em Queen"s e Federer, em Halle. A grama tem suas surpresas. Que o diga a Suíça, que passou pela Espanha na África do Sul.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.