Átila Abreu vence pela 2ª vez em Ribeirão Preto

Em prova de recuperação, piloto consegue nova vitória no circuito de rua. Max Wilson fica em 2º e Cacá Bueno em 3º

Brás Henrique, O Estado de S.Paulo

18 de abril de 2011 | 00h00

Pela segunda vez o piloto sorocabano Átila Abreu, da equipe AMG Motosport, venceu a corrida da Copa Caixa Stock Car, no circuito de rua de Ribeirão Preto, realizado ontem.

Ele largou em terceiro no grid e aproveitou o recurso do "push to pass" para ultrapassar o tricampeão da categoria Cacá Bueno, da Red Bull Racing, e também o pole position Luciano Burti, da Itaipava Racing Team, no pit stop. Burti teve outros problemas e nem terminou a prova. "Foi uma prova difícil, desgastante por causa do calor e com muito jogo de matemática e raciocínio na hora de ir para os boxes", comentou Abreu.

Essa foi a sua segunda vitória na categoria, e ambas no mesmo circuito. Cacá ficou em 3.º, enquanto o atual campeão, Max Wilson, da Eurofarma RC, foi o 2.º, e assumiu a liderança geral, com 52 pontos.

Abreu dedicou a vitória ao ex-companheiro de equipe em 2010, Gustavo Sondermann, que morreu duas semanas atrás em acidente no Autódromo de Interlagos, em São Paulo, pela Copa Montana, categoria de acesso à Stock Car.

Cacá Bueno, que estava com problema na caixa de direção do carro, acabou perdendo a 2.ª posição para Max Wilson no pit stop e, no final, ainda usou o dispositivo de ultrapassagem para deixar Khodair para trás e salvar ao menos o pódio.

"Cheguei aqui a 9 pontos do líder (que era Thiago Camilo, da RCM Motosport) e terminei a 6 do Max (o novo líder)", comentou Cacá, que passou a somar 46 pontos, dividindo a 3.ª posição com Átila Abreu. Camilo, que ficou em 8.º, é o segundo, com 47.

"Fiquei feliz com o resultado, nesse calor, e não cometi erro, pois essa pista não perdoa isso", comentou Wilson, que, apesar do 2.º lugar na corrida e da liderança do campeonato, confessou ter resvalado duas vezes no muro. Ele ultrapassou Cacá no pit stop e administrou a posição.

Abreu comemorou seu bom desempenho em pista de rua, enquanto Cacá continua preferindo as corridas em autódromos, apesar de ter vencido duas vezes o circuito de rua de Salvador. "É um gosto pessoal", explicou Cacá.

Devido ao acidente ocorrido com Sondermann, uma comissão de pilotos foi criada para discutir assuntos de segurança com a organização da Stock Car. "Assumimos o papel de cobrança, pois somos nós que sentamos lá dentro (dos carros)", disse Cacá. "Queremos falar de vitórias, não de acidentes."

A próxima etapa da Stock Car será em 15 de maio, no autódromo Velopark, em Nova Santa Rita, no Rio Grande do Sul.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.