Atiradores fazem greve para tirar presidente da CBTE

Os mais importantes atiradores do Brasil não querem a volta de Durval Guimarães à presidência da Confederação Brasileira de Tiro Esportivo (CBTE). E garantem que não vão participar de competições nacionais e internacionais enquanto o dirigente estiver no comando da entidade.Rodrigo Bastos, Janice Teixeira, Lamberto Ramenzoni, Renato Portela e Roberto Schmit reuniram-se nesta quinta-feira, no Rio, para informar a posição e conversar com o juiz Marcos Alcino de Azevedo Torres, autor da sentença que reconduziu Durval Guimarães à presidência da CBTE.?Eu me nego a participar de qualquer competição enquanto o ex-presidente estiver à frente da nossa Confederação?, disse Rodrigo Bastos, o principal atirador do Brasil.?Os atletas não querem o retrocesso. A CBTE era uma empresa privada do clã Guimarães e isso não nos interessa. Queremos uma gestão profissional, como a que está sendo posta em prática. O Durval que ponha o pijama e vá cuidar dos netos?, afirmou Lamberto Ramenzoni.A CBTE vinha sendo presidida por Frederico Costa, eleito em abril de 2005. Mas sua eleição, por 14 votos a 0, foi contestada na Justiça pelo ex-presidente Durval Guimarães, reconduzido ao cargo no último dia 24 - ele comandou a entidade nos últimos 14 anos. Os atiradores informaram que até a participação em competições como as etapas da Copa do Mundo dos EUA e Egito, em maio, que valem vaga para a Olimpíada de 2008, fica ameaçada, assim como a preparação para o Pan do Rio, em 2007.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.