Atleta que corre com próteses é proibido de competir em Pequim

Relatório concluiu que próteses davam vantagem a sul-africano.

BBC Brasil, BBC

14 de janeiro de 2008 | 15h50

O atleta sul-africano Oscar Pistorius, que teve suas pernas amputadas e corre com duas lâminas de fibra de carbono ajustadas às suas coxas, não conseguiu a permissão para competir nas Olimpíadas de Pequim deste ano.Um relatório encomendado pela Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF) concluiu que as próteses usadas por Pistorius dão a ele uma vantagem significativa sobre atletas comuns, o que vai contra as regras que regulamentam o uso de ajudas técnicas para atletas.O estudo concluiu que Pistorius, apelidado de "Blade Runner", usava 25% menos energia do que os atletas comuns para conseguir atingir a mesma velocidade.A IAAF deu seu aval às conclusões do relatório do estudioso alemão Gert Peter Bruegemann, que conduziu os testes nas próteses de Pistorius, e não concedeu a autorização para que o "Blade Runner" pudesse competir em Pequim.Se tivesse conseguido a permissão, Pistorius seria o primeiro atleta deficiente a disputar uma olimpíada regular.RecursoNa semana passada Pistorius já afirmou que iria entrar com recurso contra uma eventual proibição da IAAF.O professor Bruegemann realizou uma série de testes nas próteses e também concluiu que as lâminas de fibra de carbono proporcionavam menos movimentação vertical, permitindo um trabalho mecânico 30% menor para levantar o corpo.Oscar Pistorius nasceu com alguns ossos faltando nas pernas, abaixo dos joelhos. As pernas foram amputadas quando ele tinha um ano de idade.As lâminas de fibra de carbono que usa foram fabricadas na Islândia. Os fabricantes insistem que as lâminas são "artefatos passivos", que não respondem a comandos biológicos.Há três anos, Pistorius nunca tinha pisado em uma pista de corrida. Atualmente é uma sensação do atletismo, com recordes mundiais paraolímpicos em provas de 100 metros (10,91 segundos), 200m (21,58 seg) e 400 metros (46,34 seg).O recorde mundial nos 400 m rasos, por exemplo, do americano Michael Johnson, é de 43,18 segundos.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.