Atletas brasileiros querem desbancar africanos na Corrida de São Silvestre

Marílson dos Santos e Franck Caldeira prometem esforço para evitar tri de James Kwambai

AE, Agência Estado

30 de dezembro de 2010 | 15h57

SÃO PAULO - Nos últimos três anos, a Corrida Internacional de São Silvestre só teve vencedores africanos, tanto no masculino quanto no feminino. Dessa vez, porém, os atletas brasileiros prometem desbancar os rivais da África, para tentar a vitória na prova que acontece nesta sexta-feira, nas ruas de São Paulo, com largadas a partir das 16h30 (mulheres) e das 16h47 (homens).

Principal nome do Brasil na São Silvestre, Marilson Gomes dos Santos mostrou otimismo durante a entrevista coletiva oficial realizada nesta quinta-feira. "Tenho a expectativa de fazer uma boa corrida, apesar de saber que esta será uma das provas mais fortes dos últimos anos, com a presença de estrangeiros muito rápidos", disse o atleta, que é bicampeão da corrida (2003 e 2005) e volta à disputa após quatro anos de ausência.

Outro forte candidato brasileiro à vitória na prova masculina, Franck Caldeira aposta na força nacional. "Sem desmerecer os africanos, quero fazer uma prova inteligente junto com os demais corredores do Brasil", avisou o atleta, que também já tem um título da São Silvestre no currículo - venceu em 2006.

Atual bicampeão da prova, o queniano James Kwambai parece ser a maior ameaça aos brasileiros. "Estou bem preparado, mas não dá para dizer que vou vencer de novo, pois a prova tem muitos bons atletas este ano", afirmou o atleta, que ainda terá a concorrência de nomes importantes como o do tanzaniano Marco Joseph e do etíope Endale Tekileab, entre outros.

Na prova feminina, a maior aposta brasileira é Marily dos Santos, que ficou em terceiro lugar no ano passado. "As africanas não são imbatíveis. Nas últimas semanas, me foquei nos treinamentos pensando na São Silvestre e em brigar em igualdade de condições com as demais adversárias", contou a alagoana. Destaque ainda para as participações de Fabiane Cristine da Silva e Marizete Rezende, mas Maria Zeferina Baldaia, que foi campeã em 2001, desistiu da disputa por causa de uma contusão.

Apesar do otimismo brasileiro, a grande favorita para a vitória entre as mulheres é a queniana Alice Timbilili, que já ganhou em 2007. "Treinei forte para este ano e acredito que estou melhor preparada do que em 2007, quando venci. Não me considero favorita, como andam dizendo, só porque tenho o melhor tempo do ano dos 15 quilômetros. Terei adversárias fortes pela frente", revelou.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismoSao Silvestre

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.