Atletas britânicos não poderão falar sobre política em Pequim

Os atletas britânicos terão de assinarum contrato se comprometendo a não falar sobre política oudireitos humanos para poderem participar dos Jogos Olímpicos dePequim, que serão disputadas este ano, informou a AssociaçãoOlímpica Britânica (BOA, na sigla em inglês), neste domingo. Para ser um componente da equipe britânica, os atletasterão que aceitar um contrato que estabelece que eles "não vãocomentar sobre qualquer assunto político sensível" que envolvao país-sede, disse o porta-voz da BOA, Graham Newson. O jornal The Mail on Sunday disse que o contratoefetivamente censura os atletas de falarem sobre assuntos comopolítica, direitos humanos ou o domínio da China sobre o Tibet. Newson disse que o BOA não tem intenção de censurar osatletas. O órgão simplesmente quer chamar a atenção dos atletaspara uma regra do Comitê Olímpico Internacional, que proíbepropaganda política em locais olímpicos. A formulação do contrato ainda pode ser modificada, disseele. "Se houver a percepção de que ele não reflete o quebuscamos, nós vamos considerar a formulação", disse. Newson disse que é uma questão hipotética se atletas serãoou não mandados de volta para casa se eles assinarem o contratoe então falarem sobre política na China. "Nosso propósito é dar cobertura para o desempenhoesportivo e o próprio esporte. Claramente esse tipo de assunto(político) pode afetar nossa capacidade de fazê-lo se osatletas forem por esse caminho", disse Newson. Segundo ele, o BOA não sofreu qualquer tipo de pressão deautoridades chinesas para incluir a cláusula.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.