WERTHER SANTANA/ESTADÃO
WERTHER SANTANA/ESTADÃO

Atletas da Etiópia dominam e festejam a Maratona Internacional de São Paulo

Tilahun Nigussie e Kebebush Yisma chegam na frente; entre os brasileiros, Giovani dos Santos e Viviane Amorim ficam entre os primeiros colocados, mas fora do pódio

Paulo Chacon, especial para o Estadão

10 de abril de 2022 | 16h48

As ruas da capital paulista receberam cerca de 14 mil corredores na manhã deste domingo no retorno da Maratona Internacional de São Paulo. Depois de dois anos sem provas por causa da pandemia do coronavírus, a corrida percorreu importantes avenidas e cartões-postais da cidade. Na disputa da elite, os etíopes Tilahun Abebaw Nigussie (masculino) e Kebebush Yisma (feminino) venceram a prova. A melhor atleta do Brasil foi Viviane Amorim, com o quarto lugar.

Tilahun completou os 42 km com o tempo de 2h18min04s e Kebebush, com 2h37min40s. Foi a estreia dos dois na Maratona de São Paulo e eles não poderiam imaginar melhor resultado nas ruas paulistanas. O Brasil contou com o quinto lugar de Giovani dos Santos no masculino. Já entre as mulheres, Viviane Amorim completou em quarto, seguida por Raísa Marcelino, em quinto. Os três foram os representantes nacionais mais bem classificados na disputa, mas sem pódio.

Entre os homens, o pelotão de elite da Maratona Internacional de São Paulo viu um grupo principal ir diminuindo conforme a prova se desenvolvia. Mantendo ritmo acelerado durante praticamente todos os 42 km de corrida, Tilahum Nigussie, da Etiópia, se manteve entre os primeiros e foi o campeão de 2022. "Foi uma boa prova, mas depois da metade do percurso, todos os atletas do pelotão sentiram o cansaço e o clima. Também tivemos as passagens pelos túneis e isso exigiu mais de todos. Mas estou feliz com o resultado", comentou Nigussie.

O etíope Asefa Legese Bekele cruzou a linha de chegada em segundo lugar e Bernard Chumba, do Quênia, foi o terceiro. O brasileiro Giovani dos Santos fez uma boa prova e cruzou a linha de chegada em quinto lugar. "A maratona é uma prova difícil e muito exigente. Tem de estar bem preparado, mas todo mundo sente o ritmo, a distância e a umidade. Estou feliz com o quinto lugar, ainda mais depois de dois anos sem a realização desta corrida, já que a pandemia nos tirou essa alegria. Mas agora os eventos estão voltando e isso é ótimo para nós, atletas", disse Giovani dos Santos.

A PROVA FEMININA

A prova feminina teve uma história totalmente diferente. A queniana Vivian Kiplagati liderou até o Km 20, abrindo uma boa distância para as demais competidoras. Ela tinha toda a condição para vencer com tranquilidade. Porém, ela sentiu o cansaço e não conseguiu manter o ritmo na segunda metade da prova.

Sorte de Kebebush Yisma, que fez uma estratégia diferente e economizou o ritmo na primeira parte, ficando assim com mais condições para a fase final. Ela soube aproveitar as oportunidades e também o cansaço das adversárias para completar em primeiro o percurso de 42 km com 2h37min40s. A atleta de 24 anos também fez sua estreia na prova de São Paulo.

"Estou muito feliz com o resultado da minha primeira participação na Maratona de São Paulo. É somente minha segunda vez em provas assim, a primeira oportunidade foi na China. Foi um desafio, por causa da umidade e dos trechos de sobe e desce. Mas foi uma boa corrida", comemorou a etíope.

Já Viviane Amorim festejou sua quarta colocação na disputa. "Estou voltando de uma lesão séria e dei meu máximo. Então, para mim, foi uma prova de superação e conquistar o quarto lugar na disputa é muito bom, ainda mais depois da lesão. Foi bem bacana sentir de novo a alegria do público no trajeto. Acho que todo mundo que gosta de corridas de rua sentiu falta desse contato, dessa energia que as provas levam para as ruas", afirmou.

Resultados da 26ª Maratona Internacional de São Paulo (top-5):

Masculino:

1) Tilahun Abebaw Nigussie (ETI), 2h18min04

2) Asefa Bekele, (ETI), 2h19min16

3) Bernard Kipsang, (QUE), 2h20min30

4) Petro Mamu Shaku (ERI), 2h20min32

5) Giovani dos Santos (BRA), 2h20min58

 

Feminino:

1) Kebebusch Yisma (ETI), 2h37min40

2) Etalem Terefe Tesfaw (ETI),2h43min19

3 Vivian Kiplagati (QUE), 2h47min15

4) Viviane Amorim(BRA), 3h03min35

5) Raisa Marcelino (BRA), 3h05min21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.