Atletas dividirão R$ 2, 1 mi da Coca-Cola

A gaúcha Daiane dos Santos ficou em quinto lugar, não levou medalha, mais vai ganhar um prêmio, em dinheiro dado pela Coca-Cola. A multinacional americana anunciou hoje que essa premiação, resultado de parceria com o Comitê Olímpico Brasileiro (COB), pode chegar a R$ 2,1 milhões. Os medalhistas olímpicos, Flávio Canto e Leandro Guilheiro, que ganharam o bronze no Judô, serão os primeiros atletas a garantir a premiação da Coca-Cola. Segundo a tabela de premiação montada em parceria com o Comitê Olímpico Brasileiro (COB), a premiação por medalha varia de um mínimo de R$ 14 mil até um máximo de R$ 70 mil. Já os valores para Melhor Marca Pessoal, Recorde Brasileiro, Finalista até o 8º lugar, Recorde Sul-Americano, Recorde Olímpico e Recorde Mundial, vai de um mínimo de R$ 3 mil até um máximo de R$ 60 mil. "Estamos vivendo um momento muito especial para a Coca-Cola, pois estamos começando a colher os frutos de uma importante parceria da empresa com o esporte olímpico brasileiro. Uma parceria que nasce ambiciosa e otimista, almejando ajudar na formação de novos campeões olímpicos brasileiros", diz a diretora de Marketing da Coca-Cola, Cláudia Colaferro. A idéia de premiar os medalhistas de Atenas 2004 foi levada pelo COB à Coca-Cola, que decidiu, então, não só acolher a proposta do Comitê, como também estendê-la aos atletas que alcançarem as suas melhores marcas. Com base num estudo do Departamento Técnico do COB, a premiação poderá contemplar todos os atletas, inclusive os das modalidades coletivas, como vôlei, basquete, handebol, pólo aquático.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.