Atletas dos EUA terão ajuda psicológica

Os Estados Unidos pretendem integrar um grupo de psicólogos para atender seus atletas na Olimpíada de Atenas. O motivo: o Comitê Olímpico local prevê que os norte-americanos, além de terem de enfrentar o temor por atentados terroristas, serão bastante hostilizados pelos torcedores dos países contrários à invasão do Iraque."Não vai ser um ambiente caloroso e amigável", prevê o diretor do Comitê Olímpico dos Estados Unidos (Usoc), Steve Rouch. "Nós estamos prevendo um ambiente hostil."O número de atletas da delegação norte-americana ainda não foi definido, mas a entidade prevê o envio de dez psicólogos para cerca de 560 atletas. Todos os profissionais terão como principal meta deixar os representantes norte-americanos concentrados apenas nas competições e evitar que eles se deixem levar por fatores externos.O Comitê tem motivos para preocupação. Pode citar como exemplo o Torneio Pré-Olímpico disputado no México. Enquanto a seleção local vencia o time dos Estados Unidos, a torcida gritava "Osama! Osama!" nas arquibancadas. Ao mesmo tempo, o Usoc constatou que o público grego nutre um forte sentimento antiamericano, que pode prejudicar as ambições da equipe de manter a hegemonia no quadro de medalhas, ameaçada por China e Rússia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.