Atletas olímpicos terão que negar doping na Austrália

Os atletas, treinadores e dirigentes australianos serão obrigados a assinar um documento legal sobre sua história antidoping antes que eles possam ser selecionados para os Jogos de Inverno de Sochi, no próximo ano. O Comitê Olímpico Australiano (AOC, na sigla em inglês) aprovou por unanimidade a introdução de "declarações oficiais", disse nesta terça-feira, em um comunicado, John Coates, presidente da entidade.

AE-AP, Agência Estado

12 de fevereiro de 2013 | 11h05

Sob a lei australiana, alguém que deliberadamente faz uma falsa declaração em um documento oficial pode pegar até cinco anos de prisão. Atletas, treinadores e dirigentes devem declarar se eles têm histórico de doping, ou se cometeram uma violação de doping e foram sancionados.

Qualquer um que falhar em uma dessas opções não poderá ser selecionado para competir pela Austrália. Com amostras de controle de doping armazenados para posterior análise, a perspectiva de prisão por fazer uma declaração falsa é um elemento de pressão extra para atletas. A medida, aprovada nesta terça-feira foi proposta por Coates após o escândalo de doping de Lance Armstrong.

Tudo o que sabemos sobre:
OlimpíadaAustráliadoping

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.