Atlético de Madrid joga por um milagre

O time espanhol, que é o atual campeão, perdeu em casa por 2 a 0 para o Rubin Kazan na partida de ida

O Estado de S.Paulo

21 de fevereiro de 2013 | 02h04

É difícil definir qual será o maior desafio do Atlético de Madrid diante do Rubin Kazan hoje em Moscou: reverter os 2 a 0 que levou no jogo de ida para se classificar para as oitavas de final ou atuar com uma temperatura de oito graus negativos, a média de ontem no Estádio Luzhiniki, que tinha sua pista de atletismo coberta de neve.

O gol sofrido no último minuto do jogo de ida, depois que o goleiro Sergio Asenjo foi ao ataque para tentar o empate, transformou a partida de hoje no maior desafio do time que ganhou o torneio duas vezes nos últimos três anos. Além de ter quebrado uma invencibilidade de 20 jogos dos espanhóis em casa, o Rubin só sofreu duas derrotas nos últimos 20 jogos em Moscou pela Liga Europa.

"Temos 90 minutos para reverter o placar. Não será fácil, mas não perdemos a esperança", diz o técnico Diego Simeone que, apesar do otimismo, poupará sete titulares.

A tarefa do Napoli é ainda mais complicada que a do Atlético. Depois de perder por improváveis 3 a 0 para o checo Viktoria Plzen em pleno Estádio San Paolo, a equipe de Cavani precisa de um feito inédito na Liga Europa para se classificar: fazer quatro gols de diferença.

O Chelsea, atual vencedor da Copa dos Campeões, não deve ter dificuldades para eliminar o Sparta Praga, já que venceu a primeira partida fora de casa por 1 a 0, gol de Oscar. Por isso, o técnico Rafael Benítez revelou que Frank Lampard será poupado para a "decisão" do final de semana contra o City pelo Campeonato Inglês - o rival é o vice-líder e o Chelsea, o terceiro.

Dentre os jogos de ida, a disputa mais emocionante deve ser em Romaentre Lazio e Borussia Moenchengladbach - o jogo de ida terminou 3 a 3. O time italiano leva pequena vantagem por decidir a vaga no Estádio Olímpico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.