Atlético-MG encara Grêmio como decisão

O Atlético-MG e Grêmio se enfrentam hoje para ver quem tem mais cacife na briga pelo título do Brasileiro. Na segunda colocação (51 pontos), o time de Minas pode abrir seis pontos de vantagem sobre o Grêmio (3º, com 48) e afastar o rival da corrida pela taça se vencer o jogo. Do outro lado, o time gaúcho pode pular para o segundo lugar com a vitória. É uma verdadeira decisão de campeonato.

BELO HORIZONTE, O Estado de S.Paulo

23 de setembro de 2012 | 03h03

O jogo promete um bom duelo tático entre Cuca e Vanderlei Luxemburgo. E até por isso o treinador do Galo deve manter mistério até a hora do jogo sobre quem entrará nos lugares dos laterais Marcos Rocha e Júnior César, que terão que cumprir suspensão. O mais provável é que Richarlyson ou Triguinho ocupem uma das vagas e Serginho fique com a outra.

Além dos laterais, o atacante Jô, que se recupera de lesão, também é ausência certa e deve ser substituído por Leonardo ou Guilherme. "Não vou abrir a equipe", afirmou Cuca.

Independentemente do time que entrar em campo, Ronaldinho Gaúcho prevê um confronto acirrado no reencontro com o Vanderlei Luxemburgo, desafeto na época em que estavam no Flamengo. "Não tem nada decidido ainda. A disputa é grande, todos os times têm muita qualidade. A gente precisa muito do apoio do torcedor porque é um dos jogos mais difíceis do campeonato", avaliou Ronaldinho. E comemorou o fato de que, além do Grêmio, o Galo enfrentará o Fluminense também no Independência pela 32.ª rodada.

No Grêmio, com todos os titulares à disposição, Luxemburgo não vai recorrer a surpresas na escalação. Mas admite tratar o jogo como uma final de Copa do Mundo. Nos treinos da semana, em Atibaia, posicionou reservas do mesmo jeito que Ronaldinho, Bernard e Danilinho jogam e orientou os jogadores da defesa a marcá-los. Também pediu que turistas não filmassem a movimentação dos atletas. Zé Roberto entende que o Grêmio tem jogadores experientes, acostumados à pressão que vão sentir da torcida do Atlético-MG. "Precisamos acertar os passes porque quanto menos você erra, mais fica com a bola", afirma, convicto de que, se conseguir isso, o tricolor pode quebrar o ritmo do Atlético e sair de Belo Horizonte com um bom resultado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.