Atletismo busca talentos no futebol

Transformar "pernas-de-pau" em estrelas do atletismo brasileiro. Esse é um dos projetos do técnico Luiz Alberto de Oliveira, que está de volta ao Brasil após 20 anos trabalhando nos Estados Unidos. Empolgado com o retorno, o treinador esteve neste domingo no GP Brasil de Atletismo, no Maracanã, orientando seus pupilos Sanderlei Parrela e Hudson Souza.Luiz Alberto de Oliveira pretende por em prática a idéia de observar as "peladas", disputadas entre jovens, com o objetivo de garimpar novas revelações para o atletismo brasileiro. "Muitos jovens não conseguem ser bons jogadores (de futebol), mas têm condições físicas para se tornarem grandes atletas. Primeiro, os seduzo a treinar, mas deixo-os continuarem com as peladas até pegarem gosto pelo atletismo", explicou. Com o campeão olímpico Joaquim Cruz, que jogava basquete, ele fez trabalho semelhante.O técnico já representa o Centro de Treinamento de Manaus, além de orientar seus atletas no clube São Raimundo, também na capital amazonense. Ele informou que sua intenção é desenvolver o atletismo nas regiões Norte e Nordeste. Para ter sucesso, Luiz Alberto de Oliveira pretende fazer palestras reunindo técnicos e competidores.Luiz Alberto de Oliveira frisou que qualquer atleta do ranking pode procurá-lo, não importa o clube, para receber treinamento. Sem poupar críticas ao Vasco, o treinador afirmou que a "aventura" do clube pelo atletismo somente serviu para atrapalhar a todos. Ele diz ter sido enganado por dirigentes, "que os usam e depois os descartam". O técnico isentou o presidente da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), Roberto Gesta de Melo. "Antigamente, a maior parte dos programas desenvolvidos atendiam somente a ?panelas? (grupinhos). Se você não fosse delas, estava fora", lembrou.Sobre o futuro do atletismo brasileiro, Luiz Alberto de Oliveira mostrou o mesmo otimismo do técnico Jayme Netto. A única preocupação dele é quanto ao futuro das crianças brasileiras. "Elas não podem cair em mãos erradas. Por isso, devemos acompanhá-las, desde cedo", considerou. Além de Joaquim Cruz, o treinador foi o responsável pelas carreiras vitoriosas de Agberto Guimarães e Zequinha Barbosa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.