Atrás de destaque, Belo Horizonte remodelará Mineirão

Belo Horizonte tem planos ambiciosos para a Copa do Mundo de 2014: quer ter um papel de destaque na competição, contando, inclusive, com a presença da seleção brasileira. Por isso, pretende investir de R$ 500 milhões a R$ 1 bilhão nas obras de remodelação do Mineirão, que passará por sua primeira grande reforma desde que foi inaugurado, em 1965.

EDUARDO KATTAH, Agencia Estado

31 de maio de 2009 | 16h09

Os valores ainda não foram definidos, embora o governo do Estado prometa abrir a licitação até julho, com o objetivo de atrair a iniciativa privada em troca de concessões para operar no estádio. O projeto básico foi elaborado pelo escritório internacional de arquitetura Gerkan, Makg & Partner (GMP), em parceria com o arquiteto mineiro Gustavo Penna.

As reformas devem manter o Mineirão fechado por um tempo, obrigando Cruzeiro e Atlético-MG a jogar no tradicional Estádio Independência, construído para a Copa de 1950. O gramado será rebaixado em cerca de 3,5 metros, para melhorar as condições de visibilidade para os torcedores, e uma nova cobertura será construída, em estrutura leve, composta por cabos e anéis de aço, suspendida a partir de um sistema estrutural independente.

O projeto prevê que o estádio possa sediar as principais partidas do torneio, com capacidade total para 69.950 lugares, sendo 60 mil assentos para o público, 2,5 mil assentos vip e mais a área destinada à mídia. Como uma arena moderna, o Mineirão contará com telões, restaurantes e outros atrativos, além de câmeras de vigilância internas e externas. As obras também vão mexer no Ginásio do Mineirinho, que passará a ser um espaço multiuso, dotado de arquibancadas flexíveis temporárias e área para campo de 53 metros por 29 metros.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa de 2014sedesBelo Horizonte

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.