Alberto Estévez/EFE
Alberto Estévez/EFE

Augusto Dutra fica em 11.º no salto com vara no Mundial

Brasileiro não conseguiu superar a marca de 5,75 metros nas suas três tentativas

AE, Agência Estado

12 de agosto de 2013 | 15h13

MOSCOU - O brasileiro Augusto Dutra ficou em 11.º lugar na disputa do salto com vara no Mundial de Atletismo, que está sendo realizado em Moscou. Nesta segunda, ele não conseguiu superar a marca de 5,75 metros nas suas três tentativas e acabou sendo eliminado da disputa, vencida pelo alemão Raphael Holzdeppe, com 5,89 metros.

Principal favorito a vencer a prova, o francês Renaud Lavillenie teve que se contentar com a medalha de prata ao também atingir 5,89 metros, mas apenas na terceira tentativa, enquanto Holzdeppe superou a mesma altura no seu primeiro salto. Depois, nenhum deles conseguiu passar pela marca de 5,96 metros, o que garantiu o título mundial a Holzdeppe. O pódio foi completado pelo também alemão Björn Otto, que alcançou 5,82 metros.

Antes da sua eliminação, Augusto Dutra já havia enfrentado dificuldades na final do salto com vara, tanto que superou os 5,50 e os 5,65 metros apenas na terceira tentativa. Depois, falhou nos 5,75 metros. Assim, não conseguiu chegar perto do seu melhor resultado, conquistado neste ano, com 5,82 metros.

Em junho, Augusto Dutra, de 23 anos, quebrou o recorde sul-americano do salto com vara ao atingir 5,82 metros - a marca, posteriormente, foi quebrada pelo Thiago Braz, que saltou 5,83 metros. No sábado, ele se classificou para a final do Mundial ao atingir 5,55 metros e revelou que tinha o objetivo de superar a sua melhor marca pessoal na final, mas acabou não conseguindo.

"Foi bom fazer final no primeiro Mundial. O resultado não foi muito bom, mas bola para frente. Agora é treinar, tenho mais duas competições na Europa antes de voltar ao Brasil. E ano que vem tem o Mundial Indoor", afirmou Augusto Dutra em entrevista ao SporTV.

O brasileiro, de 23 anos, avaliou que o desgaste por ter disputado as eliminatórias no sábado também pode ter atrapalhado o seu desempenho em Moscou. "A gente põe muita força, é muito stress. Acredito que vou estar mais preparado para as próximas competições internacionais", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.