Aula ou recreio?

É bom: brincar ajuda a desenvolver a coordenação psicomotora infantil. [br]Mas cuidado: a criança deve sempre respeitar os limites do próprio corpo

, O Estadao de S.Paulo

26 de março de 2009 | 00h00

Judô ou natação, balé ou vôlei. Se você é mãe ou pai (e quer que seu filho tenha uma vida mais saudável), vai se deparar com escolhas desse tipo. Mas controle a ansiedade. Dependendo da idade, brincar é a melhor forma de uma criança gastar energia. Nesta fase da vida, amarelinha, corda, bambolê e outras atividades lúdicas podem substituir aulas esportivas.Renato Romani, professor do Centro de Medicina da Atividade Física e do Esporte (Cemaf), da Universidade Federal de São Paulo, diz que até os 6 anos o melhor é deixar a criança brincar livremente. "É importante que ela use os brinquedos, ande, corra, caia, tropece. Assim, vai aprendendo a manter o eixo de equilíbrio do corpo", diz. Só por volta dos 7 anos é que a criança está pronta para aprender técnicas esportivas.E quem deve escolher o que fazer é ela. Se por um lado o esporte ajuda no desenvolvimento, provoca lesões quando malrealizado. Aos pais, cabe atenção às reações do filho, como eventuais queixas de dor. "Nesse caso, algo pode estar errado."Mais de 2 mil brinquedosMotivos não faltam para levar os filhos para brincar. Atividades lúdicas ajudam no desenvolvimento físico, motor e social, além de combater o sedentarismo. Mesmo que seja uma brincadeira despretensiosa como o pula-pula. O Guia consultou o acervo de mais de 2 mil brinquedos do Laboratório de Brinquedos e Materiais Pedagógicos da Universidade de São Paulo (Labrimp) e selecionou opções fáceis de colocar em prática e que já fizeram parte da infância de várias gerações. Escolha uma delas com seu filho e leve-o já para o parque.Idade para tudo0 a 4 anosNão é recomendável que a criança faça aulas de esporte. Nesta fase, ela deve ficar livre para brincar com o que quiser.4 a 6 anosExercícios com regras simples. Elementos de circo e de ginástica olímpica (como a ?estrela?) costumam ser bem-aceitos.6 a 8 anosFase para os primeiros jogos. A criança deve fazer o maior número de movimentos e não se restringir a um só esporte.8 a 12 anosSurge o ?gosto? pelo esporte. A criança começa a entender o que é competir e a escolher as atividades.12 a 16 anosAs técnicas de cada esporte podem ser aperfeiçoadas em treinos específicos, mas nada ainda de musculação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.