Autoridades brasileiras antidoping confiam em laboratório liberado para Olimpíada

As autoridades brasileiras antidoping estão confiantes na liberação do Laboratório Brasileiro de Controle de Dopagem (LBCD). Depois de uma reunião com membros do Comitê Olímpico Internacional (COI), na noite desta quinta-feira, Marco Aurélio Klein, secretário da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), se mostrou confiante de que laboratório brasileiro será recredenciado

RONALD LINCOLN JR., Estadão Conteúdo

26 de fevereiro de 2015 | 22h44

Em razão de erros sucessivos nos resultados de exames, a Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês), suspendeu o LBCD, antigo Ladetec, em 2013. A recuperação da credencial o quanto antes é necessária dada a proximidade dos Jogos Olímpicos, que vão exigir uma grande demanda de testes.

Em uma conferência marcada para maio, a Wada vai decidir se volta a credenciar o LBCD, projetando a atuação nos Jogos Olímpicos. "Passamos nos quatro primeiros verificações (da Wada) e estou confiante que vamos ter sucesso no último", explicou Klein. O teste decisivo ocorre em março.

Especialistas que participaram do controle de dopagem na Olimpíada de Londres cooperaram com os trabalhos para recredenciar o LBCD e também estão otimistas, segundo Klein. "Eles afirmaram que estamos melhores do que eles estavam antes da Olimpíada de 2012", ressaltou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.