Autoridades italianas voltam a invadir delegação austríaca

Dando prosseguimento às investigações de doping nos Jogos de Inverno de Turim, as autoridades italianas voltaram a vistoriar, nesta terça-feira, as instalações da delegação de esqui da Áustria - o que causou revolta nos dirigentes austríacos, que exigiram provas sobre doping em seus atletas.O presidente da Federação de Esqui da Áustria, Peter Schroecksnadel, indignado, confirmou que a polícia voltou a invadir as instalações da delegação nesta terça. "Acredito que estão se sobrepondo com isso. Não admitiremos essas coisas. Não podemos deixar a nossa gente passar isso. Não há nada de errado com nossos atletas", declarou Schroecksnadel. Foram apreendidos 100 seringas e outros objetos de uso da delegação de esqui. Os atletas de esqui da Áustria se tornaram alvo de investigação do COI após o técnico Walter Mayer - suspenso em 2002 por praticar dopagem sanguínea nos Jogos de Inverno de Salt Lake City, nos Estados Unidos - ter sido flagrado dentro da concentração austríaca. Na madrugada da última segunda, pela primeira vez na história dos Jogos de Inverno, forças policiais foram utilizadas para invadir uma delegação - no caso, eles invadiram as dependências da equipe de esqui da Áustria para procurar por Mayer.Além das duas invasões, seis esquiadores e quatro biatletas foram submetidos a exames antidoping especiais por ordem do COI. "Por que não temos a divulgação dos resultados dos exames que foram feitos nos meus atletas?", perguntou Schroecksnadel, dando a resposta logo em seguida. "Porque eles do COI não encontraram nada". O técnico Mayer fugiu ainda na segunda de Turim, antes que as autoridades italianas invadissem o local. Ao regressar à Áustria, o técnico acabou protagonizando uma perseguição policial. Mayer bateu o carro e foi internado em um centro psiquiátrico. Segundo as autoridades, ele estava a ponto de se suicidar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.