Auxiliar que errou no clássico vai parar na 4ª Divisão paulista

Emerson Augusto de Carvalho, auxiliar que deixou de marcar três impedimentos no lance que originou o segundo gol do Santos contra o Corinthians, vai passar por uma "reciclagem" na Federação Paulista de Futebol.

VÍTOR MARQUES, O Estado de S.Paulo

21 de agosto de 2012 | 03h09

Ele foi afastado pela CBF após uma série de protestos, ainda que informais, do Corinthians, derrotado por 3 a 2 no clássico de domingo, na Vila Belmiro.

Auxiliar Fifa - e indicado para trabalhar na Copa de 2014 -, Emerson até admitiu o erro numa troca de e-mails com o coronel Marcos Marinho, chefe de arbitragem da FPF. Mas isso não foi suficiente para que escapasse de uma punição.

"Vamos colocá-lo para treinar mais e atuar em torneios com pressão menor, para recuperar sua forma, até do ponto de vista psicológico. O Emerson irá trabalhar na Segunda Divisão do Estadual (equivalente à 4.ª Divisão) e na Copa FPF", disse Marinho ao Estado.

Revoltados com a atuação da arbitragem no clássico, diretores do Corinthians e o presidente Mário Gobbi passaram a tarde de ontem discutindo se iriam formalizar ou não uma reclamação na CBF, solicitando que Emerson Augusto de Carvalho não trabalhe mais em jogos do time.

A decisão de afastar o auxiliar foi tomada ontem à tarde pela CBF, via Comissão Nacional de Arbitragem (Conaf). "Vamos tirá-lo do circuito para que ele não fique pressionado", afirmou Manuel Serapião, vice-presidente do Conaf, à Rádio Globo.

CBF e Federação Paulista, no entanto, alegam que o auxiliar tem crédito e ainda é considerado um dos melhores do País. "Ele é indicado para a Copa. Temos de ter responsabilidade, mas está numa fase ruim, acontece", disse o coronel Marinho.

Dirigentes do Corinthians atribuíram a derrota no clássico à arbitragem. Além do erro do auxiliar no segundo gol do Santos, cartolas também criticaram a atuação do juiz Flávio Luiz Guerra, considerado por eles "inexperiente". Reclamam de uma falta no atacante Guerrero antes do primeiro gol santista, o de empate. Outro lance passível de protesto, para os corintianos, foi o pisão de Neymar em Guilherme.

Marinho disse não ver motivos para as reclamações na arbitragem de Flávio Luiz Guerra e considera que ele conduziu bem a partida.

CORINTHIANS. PEGA O SÃO PAULO, DOMINGO,

NO PACAEMBU

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.