Ide Gomes/FramePhoto
Ide Gomes/FramePhoto

Auxiliar relata em súmula tapas de Clayson em policial

Confusão ocorreu logo após o árbitro Rodrigo Batista Raposo encerrar a partida

O Estado de S. Paulo

24 Outubro 2017 | 10h27

Além da derrota para o Botafogo, no Rio, o Corinthians trouxe na bagagem mais um problema. O árbitro assistente adicional número 2, Christiano Gayo Nascimento, relatou na súmula do jogo de segunda-feira à noite, no Nilton Santos, que o atacante Clayson deu dois tapas em um policial após a partida.

+ Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Em um primeiro momento, Nascimento relatou um tapa, mas depois retificou para dois tapas após ver um link com as imagens.

A confusão ocorreu logo após o árbitro Rodrigo Batista Raposo encerrar a partida. Jogadores do Corinthians cercaram o juiz e reclamaram muito a não marcação de um pênalti no atacante Jô. Atletas do time carioca se juntaram ao aglomerado e várias discussões ocorreram.

Relatório do árbitro assistente:

"Informo que, após o término da partida, alguns jogadores do S.C. Corinthians Paulista foram na direção da arbitragem, no centro do campo, para reclamar, formando-se um princípio de tumulto. Ao sair da minha posição de atuação, caminhei na direção dos meus companheiros de arbitragem, mantendo uma certa distãncia, conforme procedimento em situações de possível confronto coletivo, onde observei um tapa do jogador nº 25 do S.C. Corinthians, Sr. Clayson Henrique da Silva Vieira, no antebraço de um policial que fazia a segurança da arbitragem. Após chegar ao hotel, revendo as imagens pelo link, observei o seguinte: o jogador nº 25 do Corinthians acerta um tapa no antebraço do policial, que revida com um tapa acertando a mão do jogador e este dá um segundo tapa acrtando a barriga do policial."

Clayson tentou se defender:   "Eu não sabia quem era, achei que era alguém do quadro de arbitragem. Só coloquei a mão nele, abaixei a mão dele", disse o jogador corintiano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.