Baby Schummy, a esperança da Alemanha

Sebastian Vettel, de 20 anos, traz boas expectativas para 2008

Erica Akie Hideshima, O Estadao de S.Paulo

22 de outubro de 2007 | 00h00

Sem Michael Schumacher, a maior esperança alemã leva o nome de Sebastian Vettel, de 20 anos, que já ganhou da imprensa de seu país o apelido de Baby Schummy. Com a pacata Toro Rosso, o estreante conquistou um expressivo quarto lugar na etapa da China. Ele veio para a equipe para substituir Scott Speed e logo em sua estréia, em Indianápolis, largou em sétimo e terminou em oitavo, tornando-se o mais jovem piloto a pontuar na Fórmula 1.Depois de Lewis Hamilton, o fenômeno da temporada, Vettel é o estreante mais assediado e soma seis pontos em sete provas. Mostrou frieza e rápido poder de recuperação após a prova no Japão, quando estava em terceiro e saiu ao acertar a traseira do carro de Mark Webber. O alemão foi punido em dez posições no grid de largada da corrida da China. Largou em 17º e, ainda assim, conquistou a quarta posição (5 pontos).Solícito nas entrevistas, ele fala baixo e dá respostas quase sempre diretas. E mantém-se bastante frio ao analisar sua situação. ''''Eu não penso muito em pressão. No fim, você senta no carro e quer fazer o melhor que pode. Se você acha que fez uma boa corrida, não importa se terminou em 12º'''', diz o novato. ''''Essa é a minha vida, algo que faço há muito tempo e com que sempre sonhei.''''Em 2001,ele ganhou seu primeiro título no kart e foi revelado após disputar a F-BMW alemã e testar para a BMW em 2005. Vettel acredita que encerrou a temporada no lucro. ''''No começo, eu era um mero terceiro piloto. Nem esperava que pudesse correr até o fim do ano.''''Em relação ao desenvolvimento da Toro Rosso, a ex-Minardi e uma das equipes consideradas ''''raspa do tacho'''' da Fórmula 1 no início do ano, o alemão se diz bastante satisfeito: ''''Só posso julgar a partir da Hungria, mas tivemos um ano positivo, em que procuramos evoluir, o que não é sempre fácil.''''Com o chefe de sua equipe, o austríaco Gerhard Berger, Vettel diz que aprendeu ''''a não dar ouvidos ao que os outros estão falando, apenas fazer o trabalho, manter o foco e se divertir''''. O estreante não está preocupado com 2008, quando terá como companheiro Sébastien Bourdais. ''''Não penso na pressão que está por vir. Essa pressão de que tanto falamos está dentro de mim. Não me importo com o que estão falando.''''

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.