AP Photo/ Eraldo Peres
AP Photo/ Eraldo Peres

Bach diz ter recebido 'claro compromisso' do governo com Olimpíada

'Estamos confiantes que os Jogos serão um evento seguro e o mundo inteiro se sentirá bem-vindo', diz presidente do COI

RAFAEL MORAES MOURA E NIVALDO SOUZA, Estadão Conteúdo

24 de fevereiro de 2015 | 19h57

O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, disse na tarde desta terça-feira que os Jogos do Rio/2016 serão os mais inclusivos da história, assegurou que tem "plena confiança" na segurança do evento e minimizou o impacto das trocas de comando no ministério do Esporte e na Autoridade Pública Olímpica a um ano e meio das competições. Bach também informou que convidou a presidente Dilma Rousseff para acender a tocha olímpica na Grécia.

Em janeiro, a presidente trocou Aldo Rebelo (PCdoB) por George Hilton no comando do Esporte, em um esforço para consolidar o apoio do PRB na base aliada. No início deste mês, o Planalto anunciou que o general Fernando Azevedo e Silva deixaria a Autoridade Pública Olímpica (APO) - o petista Edinho Silva, que foi tesoureiro de campanha da presidente Dilma Rousseff, deverá assumir o cargo.

"Essa é uma matéria que cabe unicamente ao governo brasileiro tratar. O COI não interfere na composição interna dos ministérios. Para nós, o que importa é o claro compromisso e empenho que a presidente mais uma vez reiterou hoje (terça), não só da parte dela, mas de todo o governo", disse Bach, em coletiva de imprensa no Palácio do Planalto, ao ser questionado se não causava preocupação a troca em dois postos estratégicos, por motivações políticas, às vésperas dos Jogos.

"Estamos inteiramente confiantes de que os Jogos serão um evento seguro e o mundo inteiro se sentirá bem-vindo no Brasil, sem a menor sombra de dúvida. Estou confiante que vamos ter grandes jogos no próximo ano no Rio para todos os brasileiros, sul-americanos, todo o mundo."

Ao falar de segurança, Bach disse que o governo externou pleno apoio à realização do evento. Segundo o presidente do COI, 250 mil pessoas já se apresentaram para atuar como voluntárias. Também destacou que pequenas e médias empresas poderão se beneficiar com a realização dos Jogos.

"Todos os brasileiros poderão participar dos jogos em primeira mão, não só assistir pela TV, mas também desfrutar dos jogos, tendo livre acesso a eles de modo a celebrar o espírito olímpico à moda brasileira", comentou Bach.

"Estendi o convite à presidente para que compareça à cidade de Olímpia, cidade tradicional onde temos a cerimônia tradicional de acender a chama olímpica, em particular essa que remeterá ao inicio da Olimpíada no Rio em 2016. Espero portanto ter a oportunidade de dar-lhe as boas vindas em Olímpia por ocasião e espero vê-la em primeira mão carregando a tocha olímpica", disse o presidente do COI.

Tudo o que sabemos sobre:
Rio 2016Dilma RousseffolimpiadaCOI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.