Badalado, Lucas luta para recuperar vaga

Depois de perder lugar para Hulk, meia quer usar o jogo de amanhã, no qual Mano fará testes, para voltar a ser boa opção

MATEUS SILVA ALVES , ENVIADO ESPECIAL / NEWCASTLE, O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2012 | 03h07

Faltavam seis minutos para o fim da partida contra a Bielorrússia quando Lucas entrou em campo. Foi uma frustração para os torcedores brasileiros que gritaram seu nome desde o começo da segunda etapa e só o viram por pouco tempo. E também para os homens do Manchester United que estavam em seu próprio estádio para ver o garoto que eles tanto querem contratar. Derrotado por Hulk na briga por uma vaga no time da Olimpíada, o são-paulino anda apagado, mas poderá ter uma chance de se acender amanhã, contra a Nova Zelândia.

Com a equipe classificada, Mano Menezes aproveitará o jogo contra os neozelandeses para fazer testes e poupar alguns jogadores. Um deles certamente será Hulk, que tem um cartão amarelo na competição e, se levar outro, ficará fora do jogo seguinte. O mais natural é que Lucas seja seu substituto.

Apesar de ser um jogador badalado e valorizado, Lucas não está perto de recuperar a vaga que era sua nos planos iniciais de Mano. Ele não tem se destacado nos treinos, nem recebido muita atenção do chefe. Mas sabe que uma boa atuação amanhã ­ caso realmente ganhe essa oportunidade ­ pode mudar o jogo a seu favor. Por isso, trata de se mostrar animado.

"Sempre fica um gosto de quero mais", disse o são-paulino quando lhe perguntaram qual é a sensação de entrar a poucos minutos do fim de um jogo. "Estou com muita vontade de jogar e sei que preciso estar pronto para quando surgir a oportunidade."

Com a transferência para o United encaminhada, Lucas desperta a curiosidade de torcedores e jornalistas. "Foi uma surpresa muito grande quando eu ouvi gritarem o meu nome. E foi muito bom."

Não será fácil para Lucas reconquistar seu lugar no time antes do fim dos Jogos. Ele precisa de uma boa atuação contra a Nova Zelândia para convencer Mano de que pode jogar mais nas quartas de final, quando Hulk voltará à equipe. Aí será necessário decidir a partida para que torne impossível sua condição de reserva.

Avaliação física. De acordo com Mano Menezes, a escalação da equipe para o jogo contra a Nova Zelândia dependerá da avaliação física dos jogadores. A única mudança definida é a entrada de Paulo Henrique Ganso, que será escalado para ganhar ritmo de jogo.

"Ainda não está claro quem vai jogar. Tenho de esperar até receber as informações do fisiologista para saber quem está bem e quem precisa de descanso", disse o treinador.

FUTEBOL MASCULINO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.