Damien Meyer/AFP
Damien Meyer/AFP

Badminton brasileiro vai à final do Pan pela primeira vez na história

Daniel Paiola e Hugo Arthuso passam por dominicanos na semi

Estadão Conteúdo

14 de julho de 2015 | 14h11

A cada novo dia de disputas dos Jogos Pan-Americanos, o badminton brasileiro vai atingindo um feito inédito. Depois de garantir três medalhas na segunda-feira, ao avançar para a semifinal em três chaves, nesta terça, o País pela primeira vez se classificou para uma final de Pan.

Os responsáveis pelo feito histórico são Daniel Paiola e Hugo Arthuso. Na semifinal da chave de duplas masculinas, eles confirmaram o favoritismo para vencer Nelson Javier/William Cabrera, da República Dominicana, apenas a 140ª dupla do ranking mundial, por 2 sets a 0, com parciais de 21/13 e 23/21.

Na final, os brasileiros, que ocupam o 84º lugar do ranking mundial, vão jogar contra o vencedor do duelo entre Philip Chew/Sattawat Pongnairat (EUA) e Arturo Hernandez/Lino Muñoz (México), que acontece à noite. Os norte-americanos formam a melhor dupla das Américas no ranking mundial.

Mais cedo, nas duplas mistas, Alex Tjong e Lohaynny Vicente levaram 2 sets a 0 (21/17 e 21/16) de Toby Ng/Alex Bruce, do Canadá, e acabaram eliminados na semifinal. Como no badminton não há disputa pelo terceiro lugar, os brasileiros não voltam a jogar e ficam com o bronze.

Lohaynny, entretanto, joga mais uma vez. Às 18 horas (de Brasília), ela e a irmã Luana enfrentam Bruce/Phyllis Chan, do Canadá, para tentar chegar à final feminina de duplas. As rivais, número 23 do mundo, são favoritas.

Ainda que o resultado cause surpresa para quem não acompanha de perto o badminton, as três medalhas são um resultado aquém do esperado pela comissão técnica, que havia traçado como meta subir ao pódio em todas as cinco disputas do Pan. Só não alcançou a semifinal nas chaves de simples, sofrendo quatro derrotas (duas em cada) nas quartas de final.

Em Guadalajara, há quatro anos, o Brasil ganhou apenas um bronze, com Daniel Paiola. A outra medalha do País em Jogos Pan-Americanos data de 2007, quando, em casa, ganhou um bronze em duplas.

O País nunca disputou os Jogos Olímpicos na modalidade, mas em 2016 terá direito a um convite na chave masculina de simples e outro na feminina. Hoje, não precisaria do convite, porque Paiola e Fabiana Silva estão na zona de classificação do ranking mundial. Nas duplas, vai ao Rio o melhor time do continente em cada disputa.

Em agosto acontece o Campeonato Mundial, em Jacarta (Indonésia). Apenas Alex Tjong e Daniel Paiola vão à competição porque vão bancar o evento do bolso. A Confederação Brasileira de Badminton (CBBb), com o cobertor curto, preferiu pagar para a seleção disputar dois eventos no continente americano.

Tudo o que sabemos sobre:
Jogos Pan-AmericanosbadmintonBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.