Wander Roberto/COB
Wander Roberto/COB

Badminton se destaca e Brasil garante mais cinco medalhas no Pan de Lima

País garantiu ao menos mais cinco medalhas nesta quarta-feira, todas no badminton

Redação, Estadão Conteúdo

01 de agosto de 2019 | 01h23

Em um dia de poucas medalhas para o Brasil nos  Jogos Pan-Americanos, com ouro e prata na ginástica artística, a delegação nacional garantiu ao menos mais cinco medalhas nesta quarta-feira, todas no badminton. Os pódios, que levarão o Brasil ao número de 45 medalhas, serão nas duplas femininas (duas), na dupla masculina, na dupla mista e no simples masculino.

Assim, o Brasil já assegura seu melhor resultado da modalidade em uma edição dos Jogos Pan-Americanos. Até então, a maior marca do badminton no evento era a registrada em Toronto-2015, com duas pratas e um bronze.

Um dos destaques do time é Ygor Coelho, estreante em um Pan-Americano. Ele já garantiu ao menos o bronze em simples. Nas duplas, os irmãos piauienses Fabrício e Francielton Farias também asseguraram o pódio. Além disso, Fabrício garantiu a medalha nas duplas mistas, ao lado de Jaqueline Lima. 

As representantes brasileiras nos pódios das duplas femininas serão Jaqueline e Sâmia Lima, e Fabiana Silva e Tamires dos Santos. Todos os brasileiros, em simples e duplas, avançaram às semifinais. E, como a modalidade não prevê disputa do terceiro lugar, todos vão ganhar medalhas na capital peruana. 

Estes jogos serão todos nesta quinta-feira, quando o quadro de medalhas do Brasil deve voltar a se movimentar com mais frequência. Nesta quarta, subiram ao pódio apenas Francisco Barretto e Arthur Nory, ouro e prata na barra fixa, na ginástica artística. 

Esta quarta também contou com a estreia da seleção brasileira masculina de vôlei, com sua equipe B. Sem seus principais jogadores, poupados para a disputa do Pré-Olímpico, marcado para agosto, o time nacional venceu o México por 3 sets a 1, com parciais de 25/23, 25/19, 22/25 e 25/22, sob o comando de Marcelo Fronchowiak, auxiliar técnico de Renan Dal Zotto.

No handebol, após o ouro das mulheres, os homens estrearam com vitória nesta quarta. Eles derrotaram os mexicanos, atuais campeões pan-americanos, por 33 a 23. A próxima partida será contra o anfitrião Peru nesta quinta, às 20hs (de Brasília). O futuro campeão pan-americano garantirá vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020.

No nado sincronizado, o duelo brasileiro formado por Luisa Borges e Micucci passou perto do pódio ao terminar em quarto lugar, com 161,293 pontos. Ficou atrás do Canadá, campeão pan-americano com 179,673; do México, prata, com 175,124; e dos Estados Unidos, bronze, com 170,811.

QUADRO DE MEDALHAS

 O Brasil terminou esta quarta-feira na terceira colocação geral do quadro de medalhas, com 40, sendo 12 ouros, 10 pratas e 18 bronzes. A liderança segue com os Estados Unidos, donos de 78 medalhas (33, 24 e 21). O México ocupa o segundo posto, com 49 pódios (14, 10 e 25).

Com estes resultados, o Brasil já garantiu em Lima 18 vagas em Tóquio-2020. Foram 14 no handebol feminino, três no hipismo, no adestramento, e a vaga de Iêda Guimarães no pentatlo feminino.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.