AO VIVO

Confira tudo sobre a Copa do Mundo da Rússia 24 horas por dia

Baloubet está perto da aposentadoria

Mais dois anos. Este é o tempo que falta para o sela francês Baloubet du Rouet se aposentar definitivamente das competições, segundo informação do parceiro brasileiro dele, Rodrigo Pessoa. O conjunto medalha de prata em Atenas/2004 pretende se apresentar no Mundial de Aachen, na Alemanha, em 2006 - depois, para Baloubet, só grama verde e água fresca... Baloubet, aos 15 anos, já passou da meia-idade na contagem de tempo eqüina. Mas dentro das condições mais do que ideais de alimentação e temperatura com é tratado, ele se mantém no auge da maturidade. "Ele está firme de saúde, bem física e tecnicamente", concorda Rodrigo. "É um cavalo espetacular, ele merecia essa medalha." O sela francês Baloubet du Rouet é um alazão nascido em 1.º de agosto de 1989, filho de Galoubet e Mesange du Rouet, no haras francês de Brunel. Tem 610 quilos e 1,72 metro de altura - ou seja, consegue saltar obstáculos mais altos do que ele. Hoje, vive no Centro de Treinamento de Nelson Pessoa, o Neco, pai de Rodrigo, em Bruxelas, na Bélgica. Aliás, Baloubet ajuda a manter o Centro: periodicamente ele pára de competir para coleta de sêmen. Cada ampola do sêmen dele chega a custar US$ 5 mil - e ninguém garante a prenhez da égua inseminada, nem a qualidade do animal gerado. Mesmo assim, a procura é grande: calcula-se que ele já tenha mais de 500 herdeiros. Quem fica satisfeito com as conquistas e o rendimento de Baloubet é o proprietário dele, o português Diogo Pereira Coutinho, que comprou o cavalo quando ele tinha 2 anos e já chegou a recusar uma proposta de US$ 5 milhões pelo animal, feito pela princesa Haya, da Jordânia, há 5 anos. Na época, Coutinho foi categórico: Baloubet não tem preço, afirmou. E fazia pouco mais de um ano que Baloubet tinha começado a competir no circuito mundial. Neco comemorou a decisão: "Melhor pra mim, que posso preparar o potro para a Olimpíada." Baloubet foi entregue ainda potro, com 5 anos de idade, a Nelson Pessoa, que pretendia deixá-lo "em ponto de bala" para a Olimpíada de Sydney/2000 - ele não poderia imaginar que o cavalo só se consideraria pronto mesmo em Atenas/2004. "É preciso paciência na preparação do cavalo", dizia Neco, na época. "Trabalhar conforme a idade do animal, progressivamente, na maior tranqüilidade." Durante esse período de preparação, Neco montou Baloubet em diversas competições - participou com ele do Mundial de Equitação em Roma, em 1998, e ficou em 11.º lugar. Ao mesmo tempo, entregavas rédeas de Baloubet ocasionalmente para o filho Rodrigo, como na Copa do Mundo disputada em Helsinque, na Finlândia, quando o brasileiro foi campeão. Em 1999, na disputa da Copa do Mundo em Gotemburgo, na Suécia, Rodrigo considerava que, com Baloubet, formava "um dos pares mais entrosados nas pistas" e, em artigo para o Jornal da Tarde, dizia que o cavalo tinha "muita potência nos saltos". Meses depois, em Calgary, no Canadá, na disputa do Concurso Spruce Meadows, a altura dos saltos de Baloubet causou surpresa entre os competidores. O conjunto Rodrigo Pessoa/Baloubet du Rouet é campeão mundial e tricampeão da Copa do Mundo de Hipismo (1998, 1999 e 2000). Com a aposentadoria de Baloubet, Rodrigo prepara outros animais para seguir competindo. "Tenho confiança e esperança no Hermès, outro sela francês, e na Fantasia. O Hermès precisa adquirir mais experiência. A Fantasia se recupera bem de uma lesão e logo retomará as competições."

Agencia Estado,

29 Agosto 2004 | 12h16

Mais conteúdo sobre:
olimpíada 2004 olimpíada

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.