Banco espera lucrar com o vôlei

Quem também se deu bem com o desfile dos jogadores da seleção masculina pelas ruas de São Paulo, nesta terça-feira, foi o Banco do Brasil, que há 12 anos patrocina o vôlei brasileiro. Com os tricampeões da Liga Mundial desfilando pela cidade - nos centros financeiros da Boa Vista e depois na Paulista -, Paulo de Tarso, gerente executivo de marketing esportivo e cultural do Banco do Brasil, admitiu: mesmo sem ter sido de propósito, o banco pode captar novos clientes. "Não foi calculado isso de passar no coração financeiro de São Paulo. Não traçamos o itinerário, mas que ajudou o banco, disso não tenho dúvida", disse o gerente, negando que a festa na cidade tenha sido uma jogada de marketing.A recepção e o itinerário dos campeões foram organizados pela Confederação Brasileira de Vôlei junto com Prefeitura, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e CET, explicou Paulo de Tarso. "A festa foi em São Paulo porque o desembarque seria aqui e vários jogadores moram na cidade. Além do mais, é mais fácil conseguir conexões. Apenas o Nalbert iria para o Rio de Janeiro."Para Paulo de Tarso, a final emocionante da Liga Mundial foi a ação mais importante do marketing do banco no caso dessa competição. "A exposição que tivemos, com Rede Globo, SporTV e capa em todos os jornais do Brasil, certamente foi altíssima", revelou.

Agencia Estado,

15 de julho de 2003 | 20h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.