Bandeirinha do clássico se envolve em nova confusão

Emerson Carvalho acerta no lance do 2º gol do Grêmio diante do Coritiba e por pouco não é agredido no campo

CURITIBA, O Estado de S.Paulo

23 de agosto de 2012 | 03h03

O bandeirinha Emerson Augusto de Carvalho, afastado pela CBF para fazer uma reciclagem após não marcar três impedimentos no lance do segundo gol do Santos no clássico diante do Corinthians, se envolveu em nova confusão ontem.

Dessa vez, ele não teve culpa. Emerson foi escalado na sexta-feira, antes da polêmica no clássico domingo na Vila Belmiro, para ser auxiliar no jogo Coritiba e Grêmio, ontem, pela Copa Sul-Americana. E no lance mais discutido da partida, ele acertou ao não dar impedimento de Marcelo Moreno no gol que deu a classificação ao time gaúcho. Os jogadores do time paranaense, entendendo que o lance havia sido irregular, partiram para cima de Emerson Carvalho, que teve de deixar o campo escoltado pela polícia.

Antes da polêmica com o bandeirinha, o clima no Couto Pereira era de festa. O time da casa vencia por 3 a 1, placar que dava a classificação ao Coritiba. O Grêmio, porém, não desistiu e buscou mais um gol aos 46 minutos. Da entrada da área, Souza pegou mal na bola e Marcelo Moreno, em posição legal, mandou para as redes. O árbitro validou o gol, mas não impediu as fortes reclamações dos anfitriões contra o azarado Emerson Carvalho.

O jogo. Coritiba abriu o placar aos 22 minutos do primeiro tempo com Everton Ribeiro. A equipe gaúcha empatou com Elano cobrando pênalti sofrido por Kleber. Com o empate, o Coritiba precisava marcar mais dois gols para avançar à próxima fase da Copa Sul-Americana porque gol fora de casa é critério de desempate e favorecia o Grêmio.

Assim, os donos da casa não aliviaram o ritmo no segundo tempo e voltaram à dianteira do placar aos 7, com gol de Roberto, após passe de Robinho. Aos 21 minutos, Pereira, de cabeça, fez o terceiro. Mas nos acréscimos, Marcelo Moreno fez o gol da classificação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.