Banespa lança uma nova dupla dinâmica

Com tradição de revelar talentos para a seleção brasileira masculina de vôlei, o Banespa/Mastercard já tem uma nova "dupla dinâmica": Borba e Vinhedo. Os dois começaram a jogar juntos no Pinheiros, foram campeões mundiais infanto-juvenis no Egito/2001, treinaram no ano passado com a seleção sob o comando do técnico Bernardo Rezende e serão peças importantes para a equipe que hoje tem uma partida difícil na Superliga, fora de casa, diante da Wizard/Suzano, às 19h."Começamos a jogar juntos no Pinheiros, quando tínhamos uns 11 anos. Nessa época, o Vinhedo foi morar em casa. Jogamos no clube por quatro anos e em 1999 fomos para o time de Sorocaba, onde ficamos até 2001. Depois a gente se separou: fui para o Minas e ele para o Banespa, onde cheguei nesta temporada", conta Borba, atacante de 1,99 m.Vinhedo garante que é muito grato ao amigo. "Foi ele quem me acolheu quando eu vim do interior para São Paulo. O alojamento do Pinheiros estava cheio, eu só conhecia o Bruno do colégio e mesmo assim ele me abrigou. Fiquei um mês e meio morando com ele, o irmão e os pais. Era uma família muito boa. Ele é meu melhor amigo dentro e fora da quadra", diz o levantador de 1,84 m.Juntos, os dois sonham em integrar a vitoriosa seleção brasileira - "Mas só depois que o ciclo olímpico terminar", afirmam. "Somos uma dupla que deu certo, mas só pensarei na seleção depois da Olimpíada de Atenas. Para lá, o Bernardinho já tem um grupo fechado. Da minha parte, sei que preciso continuar treinando e estar pronto para quando ele precisar", diz Borba.Vinhedo concorda: "Isso é um sonho. Não fico pensando todo dia em seleção. O meu trabalho hoje é com o Banespa, onde tenho de continuar me esforçando. E outra: todos sabem que o Bernardinho já tem o grupo dele. Depois de Atenas, quem sabe?"Durante treinamentos em 2003, Bernardinho elogiou o trabalho da dupla. Disse que Borba tem tudo para ser um grande atacante, que só precisa continuar se dedicando. Para Vinhedo, também choveram elogios. "Ele é um garoto com potencial e muito talento", afirma o exigente treinador.O atacante do Banespa foi o melhor jogador do Mundial Infanto-Juvenil de 2001, mas ficou impressionado quando treinou com a seleção principal. "Eu tinha 19 anos. Treinei três vezes com eles em 2003. Treinar naquele nível é muito importante para qualquer jogador. Aprendi a ver e ouvir, porque os caras são fissurados por vôlei. Antes mesmo de eu treinar o bloqueio, o Chico (dos Santos, assistente de Bernardinho) já sabia as minhas características. Foi incrível."De qualquer maneira, o Banespa não vem fazendo boa campanha. O time está na quarta colocação da Superliga (com seis derrotas) e vem de derrota para o último colocado - o Shopping Jaraguá/Náutico. "Estamos cientes dos problemas, mas temos condições de chegar à vitória. Quando sinto dificuldades, procuro o Borba para colocar as bolas no chão - ele é mesmo o homem de segurança do time. Confio muito no meu amigo", ressalta Vinhedo.Suzano, do técnico Ricardo Navajas, está em segundo lugar, atrás da Unisul de Florianópolis.Hoje, a rodada masculina ainda terá Shopping Jaraguá/Náutico e Shopping ABC/Santo André, às 20h; Bento/Union Pack e UCS/Colombo, às 20h30; Ulbra e Telemig/Minas, às 20h30, com SporTV.Pela Superliga Feminina, quatro partidas serão realizadas: Força Olímpica e Finasa/Osasco, às 15h; ACF/Campos e Suzano, às 18h30; Rexona/Ades e Pinheiros/Blue Life, às 18h; Macaé e União/São Caetano, às 19h.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.