Banido, Pistorius ficará fora da Paralimpíada do Rio em 2016

Sentença proferida nesta terça-feira impede o atleta de disputar competições e participar de outros eventos esportivos por 5 anos

Estadão Conteúdo

21 de outubro de 2014 | 09h45

O Comitê Paralímpico Internacional anunciou nesta terça-feira que o sul-africano Oscar Pistorius está impedido de competir em eventos esportivos durante a totalidade de sua sentença de prisão de cinco anos, o que vai deixá-lo fora dos Jogos Paralímpicos do Rio, em 2016.

Pistorius, dono de seis medalhas de ouro paralímpicas, recebeu nesta terça-feira uma pena de prisão de cinco anos por matar Reeva Steenkamp, sua namorada, em fevereiro de 2013. O atleta, porém, poderia ser liberado da cadeia depois de dez meses para cumprir o restante da sua sentença em prisão domiciliar, de acordo com especialistas.

Porém, o Comitê Paralímpico Internacional destacou que, de acordo com as suas regras, "a sentença significa que Pistorius está inelegível para competir pelo período de cinco anos, independentemente de onde ele a esta cumprindo".

Em 2012, Pistorius se tornou o primeiro atleta paralímpico a competir nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, que naquele ano foram realizados em Londres.

O Comitê Olímpico Internacional (COI) chamou o caso de "uma tragédia humana para a família de Reeva Steenkamp e também para Oscar Pistorius", mas se recusou a comentar sobre a sua elegibilidade para competir. "Esperamos muito que o tempo possa trazer conforto para todos os interessados, mas nesta fase não temos mais comentários a fazer", disse o porta-voz do COI, Mark Adams.

Já a Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês) evitou se manifestar sobre a condenação de Pistorius. "A IAAF não tem comentários a fazer sobre Oscar Pistorius".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.