Barão defende cinturão e lidera brasileiros no UFC Londres

LONDRES - Renan do Nascimento Mota Pegado ainda não havia nascido quando sua avó se encantou com o Barão de Araruna, personagem da novela Sinhá Moça, exibida pela primeira vez em 1986 pela TV Globo. Um ano depois, porém, o neto de Dona Inácia veio ao mundo e não escapou da homenagem: passou a ser chamado por todos de Renan Barão.

Bruna Toni - Enviada Especial, O Estado de S. Paulo

16 de fevereiro de 2013 | 12h02

 

Com um jeito simples e discreto, o potiguar pouco tem em comum com o vilão que inspirou seu apelido. A não ser pela determinação e força que o motiva a despachar seus adversários cada vez que entra no octógono, fazendo jus ao título "nobre" que recebeu. Desde que começou a lutar MMA, Renan Barão perdeu apenas uma vez, na estreia, teve um empate e alcançou 29 vitórias consecutivas.

 

É com este vasto currículo que o brasileiro assume hoje o papel de protagonista da principal luta do UFC Londres, na Inglaterra, colocando seu cinturão interino dos peso galo em jogo diante do norte-americano Michael McDonald.

 

"Estou preparado e acho que os ingleses vão me dar uma energia positiva", diz Barão, confiante no seu bom retrospecto no país. Na última vez que esteve na Inglaterra, em 2011, ele finalizou o dono da casa Brad Pickett com um mata-leão no UFC 138.

 

O segredo de um campeão. O atleta da Nova União, academia responsável pelos treinos de José Aldo, dono do cinturão dos penas, aposta em sua equipe técnica, que conta com um dos melhores treinadores do mundo, André Pederneiras, e em seu invejável cartel para vencer o adversário de 22 anos na Arena Wembley. "Cada luta é uma luta. Com certeza conta um pouco da experiência, mas isso eu não vejo como vantagem, encaro como uma arma a mais."

 

O lutador do Rio Grande do Norte tem uma carta na manga para surpreender o tranquilo e sereno McDonald: a "paraibagem". "Eu trago a farinha e a rapadura, que é doce, mas não é mole, não. Para ser campeão, tem de beber a água lá da academia. Tem de ter sangue na veia", diz Barão. "É ter o sangue da terrinha, a raça que a gente tem diante de tantas dificuldades que a gente passou. É cair para dentro, sair na mão, com muita força de vontade", completa, explicando com orgulho o termo que usa frequentemente.

 

Outros brasileiros no octógono. Além de Renan Barão, o nordeste também está representado no UFC Londres pelo cearense de Fortaleza Renée Forte, que encara o inglês Terry Etim no card preliminar da noite deste sábado. "Estou me sentindo super bem, na melhor forma da minha vida, está tudo 100%", garante o ex-participante do TUF.

 

Renée, que perdeu na sua estreia no UFC para Serginho Moares, quer agora mostrar que merece estar no maior evento de MMA do mundo. "A pressão sempre vai existir. Eu venho de derrota, tenho de enfrentar um adversário que e é da terra aqui. Eu tenho de provar que mereço estar no UFC e eu vou provar isso neste sábado", diz o peso leve.

 

No que depender de Renée, aliás, nem a presença da torcida inglesa na Arena Wembley atrapalhará seus planos para esta noite. "Estou tranquilo. A torcida não vai poder entrar dentro do octógono junto com ele (Terry Etim) não. Lá, ele vai ter de entrar sozinho", afirma o atleta, que passou um tempo na França justamente para se adaptar ao frio europeu nesta época do ano.

 

Convocado de última hora, o carioca Jorge Santiago também participa do UFC Londres, no duelo contra o islandês Gunnar Nelson. "Recebi uma ligação três semanas antes deste evento e na hora falei: 'É a minha chance', conta o veterano lutador.

 

Esta é a terceira vez que Santiago luta no evento de Dana White, mas a primeira na categoria dos meio médios. Mais experiente, o atleta da equipe Blackzilians, a mesma de nomes como Vitor Belfort e Alistair Overeem, vê como positivo seu retorno neste momento. "Foi tudo na hora certa. Em 2011, quando eu saí, eu estava lutando em uma categoria que não era a minha (médios). Hoje em dia, sou forte finalmente entre os meio médios. Foi o tempo certo para poder voltar melhor", garante.

 

Confira todas as lutas do UFC Londres:

 

CARD PRINCIPAL

 

Renan Barão x Michael McDonald (cinturão)

Cub Swanson x Dustin Poirier

Jimi Minuwa x Cyrille Diabate

Gunnar Nelson x Jorge Santiago

James Te Huna x Ryan Jimmo

Che Mills x Matthew Riddle

 

CARD PRELIMINAR

 

Terry Etim x Renée Forte

Paul Sass x Danny Castillo

Andy Ogle x Josh Grispi

Tom Watson x Stanislav Nedkov

Vaughan Lee x Motonobu Tezuka

Phill Harris x Ulysses Gomez

Tudo o que sabemos sobre:
BarãoRenan BarãoUFC Londres

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.