Barça domina eleição

Equipe catalã já tem o prêmio de melhor jogador da Fifa. Resta saber quem ficará com o troféu: Xavi, Messi ou Iniesta. Marta está na briga pelo 5º título

Jamil Chade CORRESPONDENTE / GENEBRA, O Estado de S.Paulo

07 de dezembro de 2010 | 00h00

2010 é mesmo o ano do futebol espanhol. O melhor jogador do mundo de 2010 é do Barcelona e agora só falta decidir quem receberá o prêmio. Os três melhores técnicos do mundo também atuam pela Espanha, país campeão do mundo na Copa da África do Sul.

Ontem, a Fifa anunciou os três jogadores na lista de finalistas para receber a Bola de Ouro: Xavi, Iniesta e Messi. Entre os técnicos estão Pep Guardiola, do Barcelona, José Mourinho, do Real Madrid, e Vicente Del Bosque, da seleção.

Este ano, a Fifa dará o prêmio ao lado da revista France Football, unificando os "cinturões". Pela terceira vez na história, os três melhores jogadores do mundo atuam na mesma equipe, algo que nem o Real Madrid da era dos galácticos havia conseguido. Só o Milan havia obtido tal feito.

Agora, a grande diferença está nas conquistas internacionais. Xavi e Iniesta foram os pilares da seleção da Espanha no título de sua primeira Copa do Mundo, em julho - Iniesta fez o gol do título e é apontado como o ganhador do prêmio. Messi não brilhou como se esperava e a seleção da Argentina parou nas quartas de final. Mas, com toque de bola refinado, faro de gol e um estilo coletivo, o trio do Barcelona ganhou pelo clube todos os títulos disputados.

O que une os três, porém, não é apenas o time. Todos vieram da mesma escolinha, conhecida como La Masia, e que serve de base para a equipe catalã. Em 2009, já haviam estado entre os finalistas do prêmio da Fifa - Messi foi o campeão.

A escolha do trio do Barcelona mostra, também, que os maiores clubes não vivem apenas de contratações milionárias. Projetos de desenvolvimento de craques podem dar resultados ainda melhores do que a construção de um time marcado por salários sem precedentes.

Se a Espanha domina, os brasileiros são a grande ausência do ano. O Brasil é o país que mais títulos conquistou nos quase 20 anos do prêmio de melhor jogador do mundo - Ronaldo (três vezes), Ronaldinho Gaúcho (duas), Romário, Rivaldo e Kaká estiveram entre os escolhidos. Mas, em 2010, deixou de fazer parte da elite do futebol mundial. Os únicos indicados foram Maicon, Daniel Alves e o goleiro Julio Cesar, que apareceram na lista dos 32 melhores do ano.

Quem salva a honra do futebol brasileiro é Marta, jogadora que já se tornou um ícone do futebol feminino e que acumula o maior número de títulos de melhor do ano. Para 2010, ano em que foi campeã da Liga Americana com o Gold Pride, espera conquistar o pentacampeonato.

A atacante brasileira terá como rivais duas estrelas alemãs. Uma delas é Birgit Prinz, que levou o troféu três vezes. A outra é Fatmire Bajmaraj, de apenas 22 anos, e campeã nacional e europeia com o Turbine Potsdam.

Técnico. Neste ano, a Fifa ainda traz mais uma novidade: a escolha do melhor técnico do ano. Entre os finalistas estão José Mourinho, campeão europeu pela Inter de Milão em 2010 e atual técnico do Real Madrid.

O outro é Pep Guardiola, que ganhou tudo o que disputou em seus poucos anos como treinador. Mas é Del Bosque quem aparece como favorito, depois de levar a Espanha a seu primeiro Mundial, na África do Sul.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.