Barcelona começa vida sem Pep Guardiola

Sem o seu mentor, time de Lionel Messi, Xavi e Iniesta desafia o poder do atual campeão do país, o Real Madrid

MADRI, O Estado de S.Paulo

19 de agosto de 2012 | 03h03

Barcelona e Real Madrid estreiam hoje no Campeonato Espanhol como únicos candidatos de fato e de direito ao título. Os catalães recebem a inexpressiva Real Sociedad no Camp Nou; os madrilenhos terão de fazer um pouco mais de força contra o Valencia no Santiago Bernabéu. Paralelamente aos duelos tático e técnico, as duas partidas propõem boas interrogações.

A do Barcelona é existencial: é possível viver sem Pep Guardiola? Tito Vilanova fará sua estreia oficial como técnico. Terá a missão inglória de substituir a lenda catalã que ganhou 14 dos 18 títulos que disputou, rimando poesia e eficiência dentro de campo.

Como ainda está muito fresca a tinta desse ciclo memorável, Tito terá muito trabalho para virar a página. "Temos uma filosofia de jogo, que não será modificada. Mas podemos avançar."

A dúvida do estreante é escolher o companheiro de Messi no ataque: Alexis Sanchez, Cesc Fábregas e Pedro estão prontos.

A partida pode marcar o retorno oficial de David Villa, recuperado depois de fratura na tíbia da perna esquerda. Ele já participou de alguns minutos de um amistoso contra o Dínamo de Bucareste na semana passada. "Tenho de ter paciência e dar um passo de cada vez para voltar a jogar em alto nível", disse.

Já o jovem time da Real Sociedad vai se fechar e explorar a velocidade de Carlos Vela.

Distância. O ponto de interrogação merengue é mais corriqueiro, menos filosófico: qual é a diferença do Real para o resto dos mortais da Primeira Divisão (excluindo-se o Barça, obviamente)? Na temporada passada, foi de 39 pontos - a diferença do campeão Real para o terceiro, o Valencia, rival de hoje.

O time da capital manteve a base e espera concretizar o acordo com Luka Modric, meia croata arisco que vai cansar de deixar Higuaín e Benzema na cara do gol. "O primeiro jogo da Liga é um dos mais importantes. Ele exige 100% de concentração para que tenhamos um bom começo na Liga", disse Xabi Alonso.

Kaká foi relacionado para o jogo de hoje pelo técnico José Mourinho. Isso não quer dizer que sua permanência no Real esteja definida, embora o clube não se mostre disposto a facilitar sua saída (mais informações abaixo).

O Valencia é um dos rivais mais difíceis que o Real poderia enfrentar. É o líder da outra Liga Espanhola, aquela formada pelos clubes "mortais". Para se aproximar dos gigantes, o Valencia trouxe Haedo Valdez para formar uma dupla com Roberto Soldado. Esse duelo promete: Valdez e Soldado contra Sergio Ramos e Pepe (é dúvida por causa de uma lesão muscular).

Paralelamente à cada rodada, os jogadores revelam, aos poucos, suas expectativas pelos embates entre Barça e Real, que se enfrentam dia 22 de setembro, no Camp Nou, jogo de ida da Supercopa da Espanha. "O time a ser batido não é o Real Madrid, segue sendo o Barcelona. O melhor time do mundo é o Barcelona", declarou Daniel Alves, do Barça.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.