Tiago Queiroz/AE
Tiago Queiroz/AE

Barcelona mostra os trunfos a Neymar

Clube catalão oferece salário menor que o Real, mas lista vantagens que tornarão os ganhos maiores a médio prazo

Luis Augusto Monaco, O Estado de S.Paulo

07 de setembro de 2011 | 00h00

O Barcelona ganhou a preferência da diretoria do Santos na disputa por Neymar pela maneira como se comportou desde o primeiro momento, tratando com o clube e só procurando o jogador depois de ter sido autorizado por Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro. E agora usa seus trunfos para convencer o garoto a vestir a camisa que sempre quis usar.

Dentro do clube catalão se sabe que o salário oferecido pelo Real Madrid é quase 35% superior ( 6 milhões contra 4 milhões, ou R$ 14 milhões contra R$ 9,3 milhões). É uma diferença grande, mas o Barça não pretende entrar em leilão por entender que seu pacote é mais vantajoso para um craque de 19 anos.

O presidente Sandro Rosell diz desde o início que, se Neymar quisesse assinar com o Barça só por dinheiro, nem valeria a pena negociar. Ele queria um jogador que entendesse a filosofia do clube e soubesse que "o dinheiro virá naturalmente". Não por acaso, se lembra em Barcelona que Ronaldinho Gaúcho teve seis aumentos durante cinco anos de clube.

O primeiro diferencial apontado pelo Barça refere-se aos ganhos com publicidade. O Real fica com 50% dos contratos que suas estrelas assinam depois que chegam ao clube; o Barcelona não fica com um centavo.

A relação do clube com a Nike é outro chamariz. Sandro Rosell teve trajetória importante na empresa e foi seu diretor de marketing na América Latina durante anos. Entre seus assessores estão pessoas que também trabalharam na Nike, como Raúl Sanllehí.

Neymar recebe da Nike 800 mil (R$ 1,8 milhão) por ano. Se for para o Barça, que é o time mais valioso para a empresa em todo o mundo, esse valor será triplicado de cara. Para a Nike não é interessante vê-lo no Real Madrid, que é vestido pela Adidas, porque lá seu garoto-propaganda é Cristiano Ronaldo.

O poder da marca Barcelona leva Messi a faturar mais com publicidade do que Cristiano Ronaldo, embora seja baixinho, tímido e não tenha a "estampa" do português. Seus contratos chegam a 20 milhões/ano (R$ 46,6 milhões) contra 18 milhões (R$ 42 milhões) de Cristiano.

Amizade. Após o jogo contra Gana, Ronaldinho Gaúcho e Neymar entraram pela madrugada no bar do hotel em que a seleção estava, junto com o pai do atacante, Neymar Santos, e Roberto Assis, irmão e procurador de Ronaldinho. O craque do Flamengo jogou cinco anos no Barcelona, entre 2003 e 2008, e foi muito feliz na cidade que receberá Neymar.

Fontes em Barcelona dizem que Assis é um aliado de Rosell para convencer Neymar a jogar no Barça. Ronaldinho também, com opiniões positivas sobre o clube e a cidade. / COLABOROU JAMIL CHADE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.