Barcelona não sabe o que fazer com Ronaldinho

Craque brasileiro está em baixa

Sérgio Martins, O Estadao de S.Paulo

27 de março de 2008 | 00h00

O Barcelona cansou definitivamente de Ronaldinho. Ao final da atual temporada, o clube catalão deverá aceitar a melhor proposta que for feita pelos direitos econômicos do jogador de 28 anos. Mas o fastio é tão grande que o Barça poderá até liberá-lo de graça, já que essa opção ficaria mais em conta do que mantê-lo até 2010, ao custo de 16 milhões de euros.Muitos diretores acreditam que a estratégia de Roberto de Assis, irmão e empresário de Ronaldinho, é sobretudo obter a liberação para depois negociar contrato com outro clube. Não seria fato inédito. Em 2002, Rivaldo foi para o Milan de graça, logo depois de conquistar o título mundial pela seleção. Na época, o então presidente Joan Gaspart acreditou que seria mais barato deixá-lo ir embora do que mantê-lo com seus altos salários.Após uma reunião extraordinária da diretoria, realizada na noite de segunda-feira, chegou-se à conclusão de que o Ronaldinho é ''irrecuperável''. O astro tem demonstrado nos últimos sete meses não estar disposto a mudar sua conduta. Segundo a imprensa espanhola, sai demais à noite, queixa-se para os médicos de dores que não existem, treina pouco e parece escolher a dedo as partidas que jogará. De acordo com o Marca (de Madri) e o Sport (de Barcelona), a maioria dos diretores considera Ronaldinho uma estrela que tristemente se apaga pouco a pouco. Seu peso na equipe hoje pode ser considerado nulo, pois atua pouco e, quando o faz, não consegue mostrar o brilho anterior. Muito diferente de anos atrás, quando era intocável, infalível, invendável. Um semideus dos gramados.Por enquanto, porém, o clube não falará sobre o assunto e nem tomará qualquer decisão. Há um motivo prático para tal atitude. O Barça não só tem ainda alguma chance no Campeonato Espanhol (está a quatro pontos do líder Real Madrid) como também está envolvido na disputa das quartas-de-final da Copa dos Campeões - enfrenta o Schalke 04, da Alemanha.Por tudo isso, seria contraproducente polemizar agora. Na semana passada, Ronaldinho declarou em entrevista coletiva que estava ''sendo massacrado'' pelo críticos.Os possíveis destinos do craque brasileiro - eleito o melhor do mundo em 2004 e 2005 - são o Chelsea e o Milan. Os dois clubes, respectivamente comandados pelos bilionários Roman Abramovich e Silvio Berlusconi, já demonstraram, em outras oportunidades, interesse em Ronaldinho Gaúcho. Nesta semana, Roberto Carlos apareceu para dizer que o Fenerbahçe ''faria de tudo'' para contar com o craque no elenco.O

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.