Barcelona vai a campo com 'expressinho'

De olho no Superclássico com o Real Madrid e já classificado, time catalão escala o time B contra o BATE, no Camp Nou

O Estado de S.Paulo

06 de dezembro de 2011 | 03h03

Classificado para as oitavas de final da Copa dos Campeões e com a primeira colocação do Grupo H já garantida, o Barcelona testa hoje, no Camp Nou, contra o BATE Borisov, os garotos formados nas suas categorias de base. O técnico Pep Guardiola resolveu poupar seus principais jogadores para o Superclássico com o Real Madrid, sábado, pelo Campeonato Espanhol. Em seguida, a equipe embarca para o Japão, onde disputa o Mundial de Clubes.

Apenas sete jogadores do time principal do Barcelona foram convocados (Pinto, Piqué, Fontàs, Maxwell, Thiago, Pedro e Isaac Cuenca). Os demais atletas são do Barça B. Entre os jovens talentos do clube catalão que serão testados hoje está Rafinha, de 18 anos, filho de Mazinho, campeão mundial em 1994 com a seleção brasileira. Thiago, o outro filho do ex-volante, faz parte do time principal do Barça desde o ano passado e será titular hoje. Esta é a primeira vez que os dois devem jogar juntos.

"Espero que os garotos sejam atrevidos, que corram e se esforcem. Quero que eles não deixem de fazer nada por medo. Não mudarei o que penso sobre eles caso joguem bem ou mal", disse Pep Guardiola.

No outro jogo do grupo, o Milan enfrenta o Plzen, em Praga, na República Checa. O time italiano também está classificado e poupará vários atletas. Ibrahimovic e Thiago Silva, por exemplo, começam no banco.

Apesar disso, o técnico Massimiliano Allegri não alivia a pressão sobre o grupo e cobra seriedade de seus jogadores. "Uma partida da Copa dos Campões nunca é banal ou óbvia. Será importante jogar pelo prestígio e honra de uma competição tão importante como essa", disse.

Decisão. Chelsea e Valencia travam no Stamford Bridge, em Londres, uma disputa direta por vaga nas oitavas de final da competição. Os dois times somam oito pontos. Quem vencer, avança.

Pelos critérios de desempate, um 0 a 0 mantém o Chelsea na frente por ter marcado um gol fora. Empate por 1 a 1 ou mais gols coloca o Valencia na fase mata-mata. Se o Bayer Leverkusen, que tem nove pontos, perder para o Genk pode haver uma tríplice igualdade. "Será uma decisão. É uma partida importantíssima para nós", afirmou o goleiro do Valencia, Daniel Alves.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.