Barco de Torben fatura a Volvo

Sob o comando do brasileiro, tripulação do Ericsson 4 garantiu a vitória com duas etapas de antecipação

Valéria Zukeran, O Estadao de S.Paulo

16 de junho de 2009 | 00h00

A tripulação do barco sueco Ericsson 4, comandada pelo brasileiro Torben Grael comemorou ontem a vitória na 10ª edição da regata de volta ao mundo Volvo Ocean Race. A equipe garantiu a conquista antecipada da competição, que começou em 4 de outubro do ano passado, ao chegar em terceiro lugar na nona e penúltima etapa, entre Marstrand e Estocolmo, na Suécia, 525 milhas náuticas (972,3 km). A equipe ainda cumprirá tabela e velejar uma regata de porto além da etapa entre Estocolmo e São Petersburgo, na Rússia, daqui 10 dias.A tripulação chegou sob grande festa, afinal o Ericsson garantiu a vitória em casa, diante da torcida. Como prêmio, Torben fez um pedido especial ao patrocinador. "A gente gostaria de uma dessas quando chegar em São Petersburgo", disse o velejador, empolgado, interrompendo a breve entrevista por telefone ao Estado, logo após a conquista, para apontar em direção a uma churrasqueira.O brasileiro afirma que não houve etapa que tivesse sido decisiva para a vitória. "Eu diria que o fato de termos feito um começo de regata forte, ganhando, foi bom para a gente. Isso permitiu que pudéssemos administrar melhor o resto da competição." Na penúltima perna da prova, Torben admite que optou por não correr riscos: um quarto lugar seria suficiente para garantir o título. "A distância era pequena, mas o percurso era perigoso. Um de nossos adversários na luta pelo título, o Telefônica Blue, bateu em uma pedra e teve de voltar para Marstrand ou poderia correr o risco de afundar", conta o brasileiro.Torben - o primeiro velejador da hitória a vencer a Volvo Ocean Race, Copa Luis Vuitton e ganhar um ouro olímpico, três das mais importantes competições de vela do mundo - diz que não houve pressão por parte dos patrocinadores do barco, uma empresa de telefonia sueca, para garantir a vitória em casa. "Não era uma meta, mas algo desejável. Nesse ponto eles foram muito tranquilos. "O brasileiro diz que ainda não tem planos para o futuro além de recepcionar a mulher, Andrea, que chega hoje a Estocolmo. "Estava tão focado na competição que não pensei em outras coisas."Com o terceiro lugar na nona etapa, o Ericsson 4 acumula 108 pontos conquistados contra 95 da equipe Puma, vencedora da perna. O SUPERCAMPEÃONome: Torben Schmidt GraelTítulos: 2 ouros olímpicos na classe Star (1996 e 2004), uma prata na classe Soling (1994) e dois bronzes na Star (1988 e 2000); um título mundial na Snipe Jr, (1978), dois na Snipe (1983 e 1987), um na One Ton (1992) um na 12 metros (1990); uma vitória na Louis Vuitton Cup (2000) e uma vitória na Volvo Ocean Race (2009).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.