Ainhoa Sanchez/Volvo Ocean Race
Ainhoa Sanchez/Volvo Ocean Race

Barco holandês vence etapa da Volvo Ocean Race finalizada em Itajaí

Embarcação superou o chinês Dongfeng Race Team, numa disputa apertada, ao fim de 14 mil quilômetros

Estadão Conteúdo

03 de abril de 2018 | 17h50

O barco Team Brunel, da Holanda, venceu a sétima etapa da Volvo Ocean Race, a regata de volta ao mundo, nesta terça-feira. O barco holandês superou o chinês Dongfeng Race Team, numa disputa apertada, ao fim do percurso de 7.600 milhas náuticas (cerca de 14 mil quilômetros) iniciada em Auckland e finalizada em Itajaí, no litoral de Santa Catarina.

+ Robert Scheidt leva título paulista na Star e Torben Grael fica com 2º lugar

As duas embarcações chegaram quase empatadas no litoral brasileiro, mas o time holandês abriu vantagem pela manhã e venceu a disputa com 15 minutos de vantagem sobre o rival. Os primeiros colocados chegaram a Itajaí antes do previsto - a estimativa era entre o dia 5 e 6 - graças aos fortes ventos da etapa.

Por enquanto, somente os dois barcos já finalizaram a sétima etapa da tradicional prova. Em terceiro lugar, ainda perto da chegada, está o holandês Akzonobel, que tem a brasileira, Martine Grael, campeã olímpica no Rio-2016, entre os seus tripulantes. O barco, ainda na região da divisa entre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina, deve chegar entre esta quarta e quinta-feira.

Com os resultados, o Dongfeng Race Team deve desbancar o espanhol Mapfre da liderança geral. O Akzonobel, de Martine Grael, deve seguir na quarta colocação. A próxima etapa, com início em Itajaí, terá início no dia 22, com trajeto de 5.700 milhas náuticas (10 mil quilômetros) até a cidade norte-americana de Newport. A Volvo Ocean Race conta com 11 etapas, no total.

Com duração de 16 dias para o vencedor, o percurso finalizado nesta terça foi considerado um dos mais difíceis da história da competição. Os ventos fortes, das ondas consideradas gigantes, e a neve trouxeram dificuldades para todas as embarcações, com quebras de equipamento e até o desaparecimento de um tripulante.

O britânico John Fisher, da equipe Sun Hung Kai/Scallywag, de Hong Kong, caiu no mar no Oceano Antártico, no dia 26 de março. Diante das condições adversas do mar, o time seguiu em frente e a organização da prova prestou condolências à família de Fisher, sem confirmar a morte.

Como demonstração de respeito ao britânico, a chegada do Team Brunel nesta terça foi discreta, sem festa ou estouro de champagne. "Foi uma etapa dura do começo ao fim, uma prova que exigiu bastante do nosso psicológico e do nosso corpo", afirmou Bouwe Bekking, comandante do barco holandês. "Foi incrível vencer, mas não estamos felizes em virtude da perda de John Fisher. Foi um soco no queixo."

BUSCAS SUSPENSAS

A organização da Volvo Ocean Race informou nesta terça que a MRCC (Maritime Rescue Coordination Centre Chile) suspendeu as buscas pelo velejador britânico. O barco dele, o Sun Hung Kai/Scallywag, está distante dos demais na disputa. Após a chegada em Itajaí, vai decidir se permanecerá na competição.

Já o Vestas 11th Hour Racing ainda está nas proximidades das Ilhas Falkland (Malvinas) com dificuldades para finalizar a etapa porque perdeu o mastro na sexta-feira. A equipe faz esforço para tentar desembarcar no litoral catarinense antes do início da oitava etapa.

Tudo o que sabemos sobre:
Martine Grael

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.