Barcos já tem a confiança de Felipão

Atacante fez apenas um jogo como titular e atuou 25 minutos em outro, mas parece ser a peça que faltava no esquema tático

O Estado de S.Paulo

17 de fevereiro de 2012 | 03h04

Cheio de personalidade e com estilo de jogo exatamente do jeito que o técnico Luiz Felipe Scolari gosta, o atacante Hernán Barcos fez apenas um jogo como titular e atuou 25 minutos em outra partida, mas já parece ser a peça que faltava no esquema tático do treinador. "O Felipão me pediu para jogar como eu fazia na LDU, mas tenho que aproveitar o pé do Assunção. Até pela minha altura, eu sou perigoso na jogada pelo alto", disse o argentino, ciente de que terá que "aprender" a marcar gols de cabeça.

Embora tenha 1,89 metro de altura, Barcos não é muito de fazer gols de cabeça. "Dos 27 que eu fiz pela LDU acho que foi uns sete ou oito de cabeça só. Meu negócio é mais com a bola no pé", disse o atacante, que arranca elogios dos companheiros. "O homem parece que cheira gol. Ele fica sempre bem posicionado. Contra o Ituano, mesmo, ele ficou esperando e fez o gol", disse Maikon Leite.

Barcos não é daqueles atacantes de área "caneludos". Ele mostrou um pouco de sua habilidade contra o Ituano, quando com um toque de calcanhar driblou dois marcadores e quase fez um gol. "Sempre tento fazer jogadas assim, porque os zagueiros não esperam que um atleta grande como eu faça essas coisas."

Barcos mostra toda sua seriedade quando o assunto é apelido colocado pelos companheiros. Maikon Leite se diverte e já chamou o atacante de Pedro de Lara e Zé Ramalho, entre outros. A comparação com o cantor irrita o jogador.

Ontem, um repórter levou a foto do cantor e mostrou ao atacante, que disparou. "Filho da p... Não estou aqui para brincadeira. Essas coisas que não vêm ao caso", disparou.

O repórter se defendeu e disse, brincando, que Maikon Leite havia lhe enviado a foto. "E você é um 'boludo' (xingamento que não tem tradução literal em português) de me entregar. Não me parece sério da sua parte fazer isso", completou. /D.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.