Bassul assume basquete feminino e acena com novidades

As jogadoras da seleção femininade basquete mal terão tempo de digerir a medalha de prataconquistada nos Jogos Pan-Americanos e já vão se preocupar coma convocação para o Pré-Olímpico. Depois de 21 anos no comando da seleção brasileira em duasfases, o técnico Antonio Carlos Barbosa assumirá uma posição decoordenador na Confederação Brasileira de Basquete e passará aequipe para Paulo Bassul. Assistente-técnico do Brasil de 1999 a 2004, o primeirocompromisso dele será fazer no final de julho a convocação daequipe que tentará uma vaga na Olimpíada de Pequim, em 2008. Eapesar de não querer falar em renovação, ele avisa que haveránovidades. "Não estou entrando com bandeira de renovação, mas commentalidade de usar as 12 que estão melhores no momento dacompetição. Vocês vão ver várias coisas diferentes pelafrente," disse Bassul depois de assistir à derrota do Brasilpara os Estados Unidos por 79 a 66 na terça-feira. Bassul terá cerca de um mês e meio para preparar a equipepara o Pré-Olímpico das Américas, de 26 a 30 de setembro noChile. Ele evitou fazer análises sobre o desempenho da equipeno Pan, mas acredita que poderá solucionar dois problemas queficaram evidentes na competição: o fato de haver somente umaarmadora, Adrianinha, e as dificuldades das pivôs dentro dogarrafão. "Estou aqui como um observador para a frente, não paratrás, e acho que tem um bom garrafão para a frente. E temalgumas armadoras natas para vir," disse ele, lembrando que apivô Érika e a ala/armadora Iziane, que não jogaram no Rio,estão confirmadas na competição. O primeiro desafio dele, entretanto, será convencerAdrianinha, um dos destaques da equipe no Pan, a jogar. Segundoele, a atleta alegou motivos pessoais para ficar de fora doPré-Olímpico. "A questão da Adrianinha não considero fechada, e converseicom ela ontem. Existe uma possibilidade, mesmo que remota, pararesolver a situação. Ela é uma jogadora fora de série que estáno auge da carreira e não vou abrir mão fácil dela." Bassul diz estar confiante em garantir a vaga, mas já haviaadmitido que as chances são pequenas porque os EUA irão com aequipe completa para o Pré-Olímpico das Américas. Se não conseguir a vaga no Chile, o Brasil ainda terá maisuma chance no Pré-Olímpico Mundial, que acontece de 9 a 15 dejulho de 2008. Os segundo, terceiro e quarto colocados nacompetição das Américas disputarão esse classificatóriomundial, que terá 12 equipes e distribuirá cinco vagas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.