Kerim Okten/EFE
Kerim Okten/EFE

Bayern de Munique coloca seu favoritismo à prova em Londres

Em grande fase, o time alemão enfrenta nesta terça o Arsenal - que vive um momento conturbado

LONDRES , O Estado de S.Paulo

19 de fevereiro de 2013 | 02h09

LONDRES - O Bayern de Munique bateu na trave duas vezes nos últimos três anos, perdendo finais para Inter e Chelsea (a última delas em casa), mas este ano parece mais forte e preparado para ganhar o título que não conquista desde 2001. E nesta terça-feira o time começa sua trajetória nos "mata-matas" jogando como favorito em Londres, diante do Arsenal.

Diferentemente da maioria dos outros times, que a esta altura da temporada precisam dividir seus esforços entre o campeonato nacional e a Copa dos Campeões, o Bayern pode se resguardar no Campeonato Alemão para ter força total na competição europeia. Faltam 14 rodadas, e o time lidera com 15 pontos de vantagem sobre o bicampeão Borussia Dortmund.

Essa diferença em relação ao vice-líder é fruto de uma campanha espetacular: 18 vitórias, três empates, uma derrota, 57 gols a favor e apenas sete contra. Em 2013 o time ainda não sofreu gol. Entre amistosos e jogos oficiais, disputou nove partidas - nas quais balançou a rede 26 vezes.

"Melhoramos na defesa nesta temporada. Os jogadores entenderam que todos precisam defender e todos devem atacar, e o resultado disso é que temos jogado muito bem. Podemos derrotar qualquer time", disse o técnico Jupp Heynckes, que em junho passará o bastão para o espanhol Pep Guardiola.

O goleiro Neuer, principal beneficiado pelo ótimo rendimento do sistema defensivo, diz que o grande mérito da equipe é jogar de maneira compacta. "Quando perdemos a bola nos recompomos rapidamente."

A novidade na escalação em comparação à partida de sábado contra o Wolfsburg (vitória por 2 a 0 fora de casa) será a entrada do volante espanhol Javi Martínez no lugar de Luiz Gustavo.

O Arsenal vive um momento delicado. Sábado foi eliminado da Copa da Inglaterra pelo Blackburn, da Segunda Divisão, resultado que provocou uma enxurrada de críticas ao técnico Arsène Wenger e transformou a Copa dos Campeões na única competição que o time ainda tem chance de ganhar na temporada.

Wenger foi atacado por ter escalado um time misto contra o Blackburn, e isso o deixou furioso. "Disseram que eu menosprezei a competição. Eu jamais faria isso em um torneio que já venci quatro vezes."

Os jogadores sabem o tamanho da encrenca que terão pela frente, e se miram no exemplo do Chelsea para acreditar que é possível avançar para as quartas de final. O rival londrino chegou à decisão do título em Munique como zebra na temporada passada, mas saiu com o troféu. "O Chelsea jogou com muita raça e como uma equipe. Temos de fazer o mesmo", disse Wilshere. "Para mim, Bayern e Barcelona são os favoritos para ganhar a Copa dos Campeões. O sorteio foi duro conosco, mas o exemplo do Chelsea está muito vivo para todos", declarou Cazorla.

A outra partida desta terça-feira será em Portugal, onde o Porto receberá o surpreendente Málaga. A equipe espanhola está invicta no torneio, e na primeira fase ganhou o grupo em que estava o Milan.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.