BCN perto de conquista inédita no vôlei

É claro que o MRV/Minas pode virar o playoff decisivo da Superliga Feminina de Vôlei, que o BCN/Osasco ganha por 2 a 0. O time fez a melhor campanha da fase classificatória e tem jogadoras como Fofão, Érika e Elisângela, que só deixaram a seleção brasileira (por desentendimentos com o técnico) após a conquista da medalha de bronze na Olimpíada de Sydney, em 2000. Mas o título da temporada está muito mais perto do BCN. Uma conquista inédita, que a equipe ainda não tem apesar da tradição de investimento no esporte. O terceiro confronto será nesta quinta-feira, às 20h30, no Mineirinho, em Belo Horizonte (com SporTV). O BCN venceu o primeiro jogo, em Minas, por 3 sets a 1, e o segundo, em Osasco, por 3 a 0. Se os números indicam algum favoritismo, ele é do BCN. Dos 68 jogos da temporada, ganhou 63; nas 21 partidas da Superliga tem 19 vitórias - as duas derrotas, contra o Minas, na fase de classificação devolveu agora, no playoff. Nos 12 confrontos diretos, o BCN ganhou 9. Nas estatísticas individuais Osasco lidera ataque, bloqueio, defesa, levantamento e recepção. Em entrevista, hoje, em Belo Horizonte, com o técnico Antônio Rizola e as jogadoras Fofão e Elisângela, pelo Minas, José Roberto Guimarães, Fernanda Venturini e Virna, do outro lado, sobraram declarações óbvias e ?politicamente corretas?. O BCN dizendo que respeita a MRV e a vantagem de 2 a 0 não significa nada... A MRV que pode virar e usará o apoio das 20 mil pessoas do Mineirinho diante de uma grande adversária...

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.