BCN vence em Minas e larga na frente

O BCN/Osasco impôs um saque fulminante e não deu chance ao MRV/Minas, neste sábado, na primeira partida da série melhor-de-cinco pela decisão da Superliga Feminina de Vôlei. Venceu por 3 sets a 1 (parciais de 25/19, 25/14, 24/26 e 25/14) e abriu 1 a 0 no playoff que define a temporada de 2002/2003. O técnico José Roberto Guimarães, do BCN, destacou como fator mais positivo sua equipe "ter quebrado o tabu de nunca vencer na casa do Minas" (com o técnico no comando haviam sido 7 vitórias contra 1, agora 2). A atacante Virna, que iniciou essa temporada após uma parada de três meses para se recuperar de uma fratura por estresse, admite que fez a sua melhor partida no campeonato - fez 24 pontos. "Foi a melhor partida dela sim e também do time no torneio", observou Zé Roberto, elogiando o grande nível de concentração de sua equipe, que não se intimidou diante do ginásio lotado do Minas. Mas Virna, de 31 anos, entende que o Minas de hoje - a norte-americana Tom Logan teve uma virose durante a semana, o que comprometeu sua atuação - não será o mesmo do próximo sábado, quando será realizado o segundo jogo, em Osasco. "O Minas tem outro tipo de jogo, mais agressivo." O técnico do Minas, Antônio Rizola, afirmou que o time errou muito a partir do bom saque do BCN. "Foi mérito do BCN, que provocou os nossos erros." Virna ainda está concentrada na decisão, mas afirmou que se for convocada pelo técnico Marco Aurélio Motta para a seleção brasileira vai voltar, após uma ausência na temporada passada. "O Brasil precisa ganhar e todo mundo sabe disso, ele e nós", disse, referindo-se as ?rebeladas? que, no ano passado, deixaram a seleção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.