Beisebol: Brasil vira atração no Panamá

Depois de surpreender no Campeonato Mundial, onde esteve muito perto de derrotar Cuba, octacampeã mundial, a seleção brasileira de beisebol tornou-se uma das atrações do pré-olímpico que começa quinta-feira, na Cidade do Panamá, com o jogo entre Panamá e Colômbia. O Brasil estréia na sexta, enfrentando os panamenhos. As dez seleções, divididas em dois grupos, lutarão por duas vagas para Atenas/2004."Nós é que faríamos o jogo de abertura. Mas depois do nosso jogo contra os cubanos, os panamenhos se assustaram e mudaram a tabela", disse Olívio Sawasato, presidente de Federação Paulista de Beisebol e chefe da delegação no Panamá.Com as desistências da República Dominicana, Aruba e Venezuela, os grupos foram refeitos, hoje, durante o Congresso Técnico. No Grupo A competirão as seleções do Panamá, Colômbia, Brasil, Estados Unidos e Nicaragua. No B, Cuba, Porto Rico, Canadá, Bahamas e México. Apenas uma equipe de cada grupo será eliminada na primeira fase.O Brasil, depois da estréia contra o Panamá na sexta, às 23h (de Brasília), enfrentará os EUA no sábado (18h), a Colômbia no domingo (18h) e, finalmente, a Nicaragua, na terça, dia 4/11 (23h). As duas seleções classificadas para a Olimpíada de Atenas serão conhecidas no dia 9 de novembro, depois das semifinais. No dia seguinte, haverá a decisão do título do pré-olímpico. Estados Unidos, atual campeão olímpico, e Cuba são os favoritos para ficam com as duas vagas.Olívio Sawasato lembra que o pré-olímpico será um torneio mais difícil do que o Mundial. "O Panamá e a Nicaraguá reforçaram suas seleções com jogadores da Major League. A Seleção Americana é bem mais forte do que a do Mundial". O Brasil só terá uma mudança: o jogador Estevam Sato voltou para Mogi das Cruzes, por causa de problemas escolares e, em seu lugar, o técnico Mitsuyoshi Sato convocou o infielder Américo Kobayashi.Além de Norberto Rocha (do Chunich Dragons, de Nagoia) e Tiago Magalhães (do Cincinatti Reds), o pitcher brasileiro Kleber Ojima (Mitsubishi Hiroshima) foi muito elogiado em Cuba e eleito pela IBAF - Federação Internacional de Beisebol - como o melhor arremessador destro do Mundial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.