Beisebol: doping no Mundial não preocupa

A Confederação Brasileira de Beisebol e Softbol só aguarda o julgamento do Dragons, nesta quarta à noite, para montar a tabela da Taça Brasil de Clubes que começa no próximo final de semana, nos campos da Yakult, em Ibiuna. O time poderá ser suspenso porque utilizou um jogador irregular durante o campeonato brasileiro. Os quatro casos de doping durante o Mundial de Havana e Pré-Olímpico do Panamá, anunciados hoje, não preocupam. Os dirigentes garantem que os atletas brasileiros não estão envolvidos. A Federação Internacional de Beisebol informou que dos 52 testes no Mundial de Havana, dois deram positivo. O mesmo número entre os 34 exames realizados durante o Pré-Olímpico. A entidade não informou a nacionalidade dos atletas cujo resultado apontou o uso de substâncias proibidas. A Seleção Cubana venceu as duas competições. A Taça Brasil já tem cinco times confirmados - Blue Jays, Mogi das Cruzes, Gigantes, Gecebs e Guarulhos - e o sexto depende do julgamento do Dragons. O time utilizou o jogador Evaldo Yamaoka, durante o período de punição por desrespeito a um árbitro. O presidente da Confederação, Jorge Otsuka, reconhece que o erro do clube foi grave e admite que a Taça Brasil poderá ser disputada apenas com cinco equipes. "Os outros times já não estão mais treinando. Portanto não teria como substituir o Dragons, agora", justifica. Independente do formato escolhido, depois dos jogos do próximo final de semana, os quatro melhores times farão as semifinais no dia 7 de dezembro no estádio do Bom Retiro. E a final está marcada para 14 de dezembro, no mesmo local. A Taça Brasil é a competição mais importante de clubes de beisebol que, pelo regulamento, podem contar com ?reforços?: jogadores brasileiros que atuam no Exterior e estão de férias nesse período. Além da Taça Brasil, a Confederação Brasileira de Beisebol e Softbol também estará aproveitando o mês de dezembro para uma nova peneira para jovens jogadores que ficarão treinando na Academia do Centro de Treinamento Yakult, em Ibiuna. Os atletas selecionados, além do treinamento, recebem aulas de inglês e japonês e são matriculados em escolas particulares da região. Para participar da seletiva, os jogadores - entre 13 e 16 anos devem estar filiados a algum clube e inscritos na CBBS. A taxa de inscrição é de R$ 60, que corresponde à estadia no Centro de Treinamento, durante a peneira que será realizada entre os dias 9 e 12 de dezembro. O presidente da Confederação lembra que os Estados de São Paulo, Paraná e Mato Grosso do Sul, principalmente, possuem muitos jogadores de excelente qualidade. "Esta é a melhor forma de avaliá-los". Este é o terceiro ano consecutivo em que os dirigentes do beisebol organizam a seletiva em Ibiuna. E Otsuka cita os jogadores Gilmar Pereira e Wellison Viana, ambos de Londrina, como revelações da peneira. Os dois apareceram dentro do projeto ?Beisebol Solidário", feito em parceira com a Prefeitura Municipal da cidade paranaense. Gilmar, 15 anos, 1m95, muito rápido, já está na mira de alguns dos melhores clubes do Brasil e também poderá ir jogar no Japão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.