Beisebol: técnico do Brasil fala japonês

O técnico Mitsuyoshi Sato, o Satão, chega a dar treinos falando japonês, a língua do beisebol brasileiro. Os atletas convocados para defender o Brasil no Pan-Americano reuniram-se em etapas de treinamento no CT Yakult, da Confederação Brasileira de Beisebol e Softbol, em Ibiúna. O Brasil não terá uma equipe de softbol, a versão feminina do beisebol, neste Pan. Para o técnico Satão, o caminho para se aproximar do beisebol de Cuba e Estados Unidos é aprimorar o intercâmbio com o Japão. "Nosso objetivo é participar de uma Olimpíada e, para isso, temos de enviar jogadores ao exterior." Dos 20 atletas que viajam para o Pan, 6 estiveram nos Jogos de 1999 - Celso Nakano, Elson Nishimura Jr., Estevão Sato, Jo Matsumoto, Kleber Ojima e Márcio Sakane.

Agencia Estado,

21 de julho de 2003 | 10h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.