Belém abre os Sul-Americanos amanhã

O Pará investiu R$ 850 mil para ser um dos quatro Estados a sediar a 7ª edição dos Jogos Sul-Americanos, cuja abertura será nesta quarta, às 18h, na Estação das Docas, em Belém. As competições começam na quinta, com a participação de atletas de 14 países em natação, nado sincronizado, atletismo, boxe e luta greco-romana. Além de Belém, também serão realizadas competições em São Paulo, Curitiba e Rio de Janeiro.Como parte da cerimônia de abertura estão previstos o desfile dos atletas pela orla da Estação, a corrida com a tocha olímpica, a dança do fogo com a participação de uma tribo indígena e, no encerramento, um show pirotécnico na Baía de Guajará.As provas em Belém serão realizadas de 1º a 11 de agosto.Preparativos - Segundo a coordenadora executiva regional do Sul-Americano de Atletismo, Goretti Gomes, há dois anos que o Pará vem se preparando para um evento desse porte. "Durante esse tempo viemos realizando grandes eventos como os jogos indígenas, o Sul-Americano de Desportos Aquáticos, a Copa dos Campeões e agora o Sul-Americano de Atletismo".Segundo ela, o esporte é uma janela que beneficia a imagem do Pará e demonstra as potencialidades e a capacidade do Estado em realizar grandes competições. "Nós estamos trabalhando para marcar a imagem da qualidade do esporte no Pará", resumiu.Os primeiros competidores do atletismo estão treinando em Belém desde o dia 27. Dez atletas, dois técnicos e um chefe da delegação brasileira de nado sincronizado se anteciparam aos demais, que somente nesta terça desembarcaram na capital paraense.No total, 541 pessoas, incluindo a equipe técnica, estarão na cidade durante os onze dias de competições.Incentivo ao público - Nas modalidades de Atletismo, que acontecerão no Estádio Olímpico do Pará, o público terá um motivo a mais para comparecer. Nos três primeiros dias de competição, serão sorteadas duas passagens para o Rio de Janeiro e uma para Fortaleza. "Como o espaço físico é maior temos que estimular o público a participar", justificou Goreti Gomes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.